Marcel van Hattem articula com Anac a implantação de voos comerciais no aeroporto de Canela

Em reunião no Ministério dos Portos e Aeroportos, deputado destacou a importância da unidade areoportuária para a retomada do turismo de lazer e dos negócios no RS

Publicado por
17:38 - 06/06/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Andres Fontana/Divulgação

O presidente da Comissão Externa da Câmara Federal criada para tratar dos danos causados pelas enchentes e de medidas para a recuperação do Rio Grande do Sul, deputado federal Marcel van Hattem (NOVO/RS), se reuniu com o ministro de Portos e Aeroportos (MPor), Silvio Costa Filho, e a bancada gaúcha, na noite da última terça-feira (04). A finalidade foi tratar da retomada das operações no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre; e a modernização dos Aeroporto Hugo Cantergiani, em Caxias do Sul, e do Aeródromo de Canela.

A intenção é viabilizar o aumento do número de voos comerciais, inclusive internacionais, nos aeroportos. O parlamentar questionou ao ministro, se há previsão do governo federal realizar mais concessões para agilizar e aumentar a operação de aeroportos no interior do Rio Grande do Sul.

Em maio, com o intuito de redirecionar a malha aérea devido ao estado de calamidade resultante das enchentes no Estado, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Ministério anunciaram 53 voos para outros aeroportos gaúchos, Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas, Santa Maria, Santo Angelo e Uruguaiana. Outros 35 voos foram redirecionados para a Base Aérea de Canoas.

Segundo van Hattem, o aeródromo de Canela precisa receber investimentos e concessões do Governo Federal pela localização estratégica.

“Faço um pedido especial para o aeroporto de Canela. Mais de 50% dos passageiros que chegavam em Porto Alegre iam para a Serra Gaúcha. 30% de todos os turistas que frequentam a Serra, ou seja, Gramado, Canela, região da uva e vinho, vêm de Porto Alegre também. Se o aeroporto de Canela tiver mais condições de receber passageiros, vai desafogar um pouco o de Caxias, que recebe muitos turistas e viajantes a negócios, e vai permitir que as pessoas que compraram pacotes possam descer em Canela, que é mais próximo de Gramado”, enfatizou.

Silvio Costa Filho afirmou que Torres e Canela estarão na segunda fase da operação proposta pelo Ministério.

“A Anac está analisando alguns detalhes dessa possibilidade, para a gente poder tentar avançar nisso. Está registrado, em relação à internacionalização também. É importante que a gente possa avançar de maneira efetiva”, revelou.
Ainda conforme o ministro, 28 rotas foram transferidas para os aeroportos de Florianópolis, Chapecó e Jaguaruna, em Santa Catarina. Silvio disse que a empresa aérea TAP está atuando no estado vizinho de forma paliativa, a fim de não perder o turista e dar acesso a voos internacionais.

Já o secretário de Aviação Civil, Tomé Franca, acrescentou que os aeroportos de Caxias do Sul e de Canoas são as duas bases aéreas passíveis de serem internacionalizadas. De acordo com ele, a Anac está verificando qual seria o aeroporto que teria as melhores condições para fornecer os serviços de Polícia Federal, Receita Federal, Vigiagro (Vigilância Agropecuária Internacional) e Anvisa.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp