Governo do RS busca agilizar repasse dos aeroportos de Torres e Canela à Infraero, que promete ampliar voos

Atualmente operados pelo Estado, os aeroportos passarão a ser geridos pela empresa pública federal, que se comprometeu a ampliar as possibilidades de voos nos dois terminais

Publicado por
06:30 - 10/07/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
aeroportos

Foto: Maurício Tonetto / Secom

Em uma reunião realizada nesta terça-feira (9), por videoconferência, com o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, e o presidente da Infraero, Rogério Barzellay, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, manifestou interesse em agilizar a proposta da Infraero para a retomada das outorgas de operação dos aeroportos de Torres e Canela. Atualmente operados pelo Estado, os aeroportos passarão a ser geridos pela empresa pública federal, que se comprometeu a ampliar as possibilidades de voos nos dois terminais após a gestão retornar à União. Barzellay deve visitar o Rio Grande do Sul até sexta-feira (12) para alinhar a execução do cronograma com celeridade.

Segundo a Infraero, em ofício enviado ao Estado, após a retomada da gestão pela empresa da União, os aeroportos estarão aptos para operar voos regulares em 15 dias, transportando até nove passageiros (Grand Caravan) por viagem em Canela e até 72 passageiros (ATR-72) em Torres. Em até 45 dias, serão viabilizados voos para até 165 passageiros (Airbus e Boeing) no aeroporto de Torres e 72 passageiros no terminal de Canela.

“Essa possibilidade gerou grande expectativa nas comunidades. Ressaltei que, de nossa parte, a devolução da outorga é imediata. Temos todo o interesse em fazer a ampliação das operações para beneficiar a economia e o turismo do RS no menor tempo possível”, afirmou Leite.

Com o aeroporto Salgado Filho ainda fechado devido às enchentes, o governo estadual busca alternativas para qualificar a aviação nos aeroportos do interior. “Vamos acelerar ao máximo o processo para que a Infraero possa cumprir os prazos e ajudar o RS a se reconectar, também por via aérea, com todo o Brasil”, acrescentou o governador.

O ministro Silvio Filho destacou a necessidade de um esforço conjunto para ampliar voos, reforçar a infraestrutura e qualificar o atendimento dos aeroportos no Rio Grande do Sul. “Nossa ideia de reconstrução é de que não adianta só reconstruirmos o que foi perdido. Temos que fazer diferente e melhor. Requalificar nossos aeroportos faz parte desse propósito”, afirmou o secretário da Reconstrução Gaúcha, Pedro Capeluppi.

O governo do RS estima a necessidade de R$ 8,69 milhões para qualificar os aeroportos de Canela e Torres, contribuindo para a preparação da malha aérea do Estado em futuras crises meteorológicas. Também sugeriu que, após a retomada da outorga pela União, os terminais sejam incluídos na política de concessões aeroportuárias, assegurando o fluxo de investimentos necessários para manter os terminais em boas condições.

A reunião também contou com a presença do Procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, e dos secretários de Logística e Transportes, Juvir Costella; de Planejamento, Governança e Gestão, Danielle Calazans; de Desenvolvimento Rural, Ronaldo Santini; além do líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Frederico Antunes.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp