Governo do estado cria grupo de trabalho com entidades e protetores da causa animal

Grupo de trabalho destinado a discutir iniciativas voltadas ao bem-estar dos animais resgatados

Publicado por
18:44 - 10/07/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Governo do estado

Foto: Rodrigo Ziebell / Ascom GVG

Na manhã desta quarta-feira (10/7), o governo do Rio Grande do Sul reuniu representantes de entidades e protetores da causa animal no Centro Administrativo de Contingência (CAC) em Porto Alegre. Este encontro integra a programação da Câmara Temática do Meio Ambiente, no âmbito do Conselho do Plano Rio Grande, com o objetivo de discutir e avançar nas políticas de manejo de animais afetados pelas recentes enchentes no Estado. Como uma das principais proposições do encontro, foi criado um grupo de trabalho destinado a discutir iniciativas voltadas ao bem-estar dos animais resgatados. O vice-governador e coordenador do conselho, Gabriel Souza, detalhou as medidas que estão sendo adotadas:

“Temos uma série de ações pelos animais resgatados, incluindo castração e microchipagem em parceria com o Ministério Público e as universidades UFRGS, Feevale, UniRitter e Ulbra. Também estamos trabalhando no credenciamento de clínicas veterinárias para ampliar o programa,” explicou Souza.

“Com o grupo de trabalho, queremos ouvir as demandas de quem está atuando diretamente nos abrigos, para oferecermos as melhores alternativas visando garantir o cuidado e o bem-estar dos animais.”

Além das ações mencionadas, foram discutidas medidas como abrigamento e lar temporário para os animais. As equipes do Estado estão organizando campanhas de adoção de cães e gatos para garantir que os animais resgatados encontrem novos lares. Na primeira edição da campanha, realizada em junho, mais de 200 animais foram encaminhados para novas famílias.

O secretário-adjunto de Meio Ambiente e Infraestrutura, Marcelo Camardelli, anunciou que uma nova feira de adoção ocorrerá no próximo final de semana, nos dias 13 e 14 de julho, no Parque da Redenção, em Porto Alegre. “Entendemos que essa é a melhor maneira de cuidar dos resgatados: destinando-os para novas famílias,” afirmou Camardelli.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp