Deputados gaúchos cobram recursos do governo federal para reconstrução do estado

Reunião foi marcada por críticas contundentes ao governo federal pela falta de resposta efetiva às necessidades emergenciais

Publicado por
23:30 - 10/07/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
deputados

Foto: Celso Bender

Na manhã desta quarta-feira (10), deputados integrantes da Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e do Turismo da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul reuniram-se para abordar a questão crucial dos recursos federais destinados à reconstrução do estado após os recentes desastres naturais. Presidida pelo deputado Gustavo Victorino (Republicanos), a reunião foi marcada por críticas contundentes ao governo federal pela falta de resposta efetiva às necessidades emergenciais.

Guilherme Pasin (PP) iniciou o debate questionando a narrativa do governo federal sobre o envio de recursos. Segundo ele, pouco ou nada tem sido concretizado até o momento, apesar das promessas. Citou exemplos como a negativa da Infraero em viabilizar aeroportos estaduais e a ausência de reposição do ICMS para municípios, uma demanda central da recente Marcha dos Prefeitos em Brasília.

Pasin também criticou os anúncios feitos pelo ministro da Reconstrução, Paulo Pimenta, sugerindo que muitas das medidas anunciadas não representam novos investimentos diretos, mas apenas ajustes financeiros que não aliviam a situação financeira do estado.

Por sua vez, o deputado Prof. Claudio Branchieri (Podemos) classificou o governo federal como incompetente, apontando a falta de clareza e a demora na regulamentação dos recursos da suspensão da dívida estadual, aprovada pelo Congresso Nacional em função do estado de calamidade. Ele também criticou duramente o Programa Manutenção de Emprego e Renda, alegando que a maioria dos pedidos de auxílio foi negada, reduzindo drasticamente o número de beneficiários planejado.

O presidente da comissão, Gustavo Victorino, destacou a situação crítica em que se encontra o Aeroporto Salgado Filho, administrado pela Fraport, que até o momento tem operado com recursos próprios, sem receber repasses do governo federal. Ele ressaltou que nenhum recurso a fundo perdido foi destinado ao estado até o momento, evidenciando a falta de apoio direto em um momento crucial para a reconstrução e recuperação econômica pós-desastres.

A reunião evidenciou um clima de frustração e preocupação entre os parlamentares gaúchos, que criticaram a gestão federal pela falta de respostas efetivas e pela burocracia que tem dificultado a implementação de medidas urgentes para o Rio Grande do Sul.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp