CSG libera rodovias para ambulâncias e veículos de abastecimento da população

A liberação vale durante 10 horas por dia. A exceção é o trecho entre Farroupilha e São Vendelino, na ERS-122, que segue totalmente bloqueado

Publicado por
16:46 - 04/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Divulgação/CSG

O tráfego de ambulâncias, viaturas policiais, dos Bombeiros e Defesa Civil, além de transporte de alimentos, combustíveis e medicamentos está liberado desde a manhã deste sábado (04), nos trechos de rodovias bloqueadas, nas áreas administradas pela Concessionária da Serra Gaúcha (CSG). A liberação ocorre entre 8h e 18h, com exceção do trecho entre os quilômetros 39 e 51 da ERS-122, que fica entre São Vendelino e Farroupilha, que segue totalmente interditado.

A medida visa agilizar o suporte às pessoas mais afetadas pelas chuvas e garantir o abastecimento de alimentos, medicamentos, produtos de higiene e combustíveis para a população. Devido às condições climáticas, não há previsão de quanto tempo a decisão será mantida. Segundo a companhia, os trabalhos seguirão durante 24 horas por dia para que ocorra a liberação no menor prazo possível.

Os motoristas dos veículos autorizados devem acessar a ERS-122, a partir do km 168 (entroncamento com a BR-116), entre Campestre da Serra e Ipê, até o km 59 em Farroupilha, podendo se deslocar pela RSC-453, do km 120 ao km 101, em Garibaldi. Em seguida, poderão acessar a BRS-470, sentido a Carlos Barbosa, adentrar na ERS-446 até o entroncamento com a ERS-122, em São Vendelino, sentido a Bom Princípio, e seguir pela ERS-240 até São Leopoldo (veja o mapa em anexo).

A CSG reitera que o tráfego de emergência será lento, com estreitamento de pista e em sistema de pare e siga, monitorado pelo Serviço de Atendimento ao Usuário da concessionária. A empresa reforça que os trechos liberados para este fim inspiram cuidado redobrado e que as rodovias não estão aptas para grandes circulações de veículos. Há possibilidade de novo fechamento total, caso as condições climáticas fiquem desfavoráveis.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp