Confirmada segunda morte por leptospirose no Rio Grande do Sul

Vítima é um homem de 33 anos, morador de Venâncio Aires/RS. Município confirma pelo menos outros dois casos, ambos com pacientes recuperados

Publicado por
14:03 - 22/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Confirmada segunda morte por leptospirose no Rio Grande do Sul

Foto: Prefeitura Municipal de Venâncio Aires

Um homem de 33 anos, residente na área central de Venâncio Aires/RS, faleceu após contrair leptospirose. Este é o segundo óbito confirmado pela doença nos últimos dias no Rio Grande do Sul, que tem enfrentado fortes temporais e enchentes desde o fim de abril.

A prefeitura de Venâncio Aires confirmou o óbito em nota oficial nesta terça-feira (21). Segundo o comunicado, familiares informaram que o homem teve contato com as águas das enchentes, embora tenha adotado medidas de proteção, como o uso de botas.

Além desse caso, o município confirmou pelo menos outros dois casos de leptospirose, ambos com pacientes recuperados. “O Centro de Atendimento de Doenças Infecciosas (Cadi) da capital do chimarrão aguarda o resultado de 23 investigações laboratoriais apenas neste mês”, informou a prefeitura.

A outra morte pela doença ocorreu em Travesseiro, no Vale do Taquari, uma das áreas mais afetadas pelas enchentes no estado. Um homem de 67 anos morreu, na última sexta-feira (17), após contrair a infecção, mas o óbito só foi confirmado pela secretaria municipal de saúde no domingo (19).

A doença

A leptospirose é uma preocupação crescente para as autoridades sanitárias no Rio Grande do Sul, devido ao alto risco de contaminação pelo contato com água das cheias. A doença é causada pela bactéria leptospira, presente na urina de roedores, e é frequentemente adquirida pelo contato com água ou solo contaminados.

Os sintomas da leptospirose geralmente aparecem entre cinco e 14 dias após a contaminação, podendo demorar até 30 dias. O tratamento começa já na suspeita da doença, quando o paciente apresenta sintomas compatíveis e relata situação de risco recente. A população deve procurar atendimento médico ao surgirem os primeiros sintomas, como febre, dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo (especialmente nas panturrilhas) e calafrios.

*Com informações de Agência Brasil

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp