Comitiva gaúcha em Brasília reivindica apoio econômico e emergencial para o RS

Dando continuidade ao tratamento dos temas discutidos em Brasília, o vice-governador participará de uma reunião virtual na quarta-feira (10) com o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, e com o Ministro-Chefe da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta

Publicado por
07:33 - 10/07/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Comitiva gaúcha

Foto: Joel Vargas / Ascom GVG

Nesta terça-feira (09), uma comitiva gaúcha liderada pelo vice-governador Gabriel Souza reforçou, em Brasília, a pauta de reivindicações do Rio Grande do Sul em reuniões com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Senado Federal, Rodrigo Pacheco. Os encontros contaram com as presenças dos secretários de Desenvolvimento Econômico, Ernani Polo, e da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação, Clair Kuhn, além de representantes de entidades ligadas às atividades econômicas e das bancadas estadual e federal.

O documento entregue aos presidentes tinha como principais pautas:

  1. Aumento do valor disponível do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).
  2. Liberação das linhas de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com maior volume de recursos de capital de giro e ampliação dos critérios, excluindo a obrigatoriedade de localização na chamada mancha alagada.
  3. Pausa nos financiamentos por 12 meses.
  4. Isenção de impostos federais por seis meses.

O vice-governador Gabriel Souza destacou a importância de apoiar o Rio Grande do Sul neste momento crítico:

“Não é bom para o Brasil deixar o Rio Grande do Sul na inação de recursos financeiros, sem a sua economia voltar a atingir patamares anteriores à calamidade, porque isso vai piorar a balança comercial. Somos um Estado exportador, a quarta maior economia do país, e as dificuldades gaúchas também vão impactar negativamente no Produto Interno Bruto, nos índices de empregabilidade e, principalmente, no índice de desenvolvimento humano do país”.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, acenou positivamente ao pleito e informou que levará a pauta gaúcha em uma reunião agendada com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad:

“Nesta reunião vamos discutir a realidade da disponibilidade financeira e orçamentária para atender com mais rapidez as demandas do Rio Grande do Sul com todas as observações feitas pela comitiva gaúcha”.

Na audiência com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e com a presença do senador Hamilton Mourão, o vice-governador pontuou a urgência das demandas do RS, incluindo a insuficiência do subsídio para pagamento de salários a empregados de empresas por dois meses. Souza também sugeriu a aplicação dos R$ 7 bilhões, inicialmente previstos pelo governo federal para o leilão de arroz, em uma nova linha de crédito para o agronegócio. Pacheco endossou o pleito gaúcho, destacando a importância do apoio da bancada para soluções específicas.

O secretário Clair Kuhn enfatizou a relevância dos encontros para expor as dificuldades dos agricultores e do acesso ao crédito, destacando que são pedidos que precisam ser atendidos com urgência. O secretário Ernani Polo ressaltou a contribuição do Rio Grande do Sul para a economia brasileira e a necessidade do apoio federal para complementar as medidas estaduais de reestruturação.

Dando continuidade ao tratamento dos temas discutidos em Brasília, o vice-governador participará de uma reunião virtual na quarta-feira (10) com o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, e com o Ministro-Chefe da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, para debater as linhas de crédito oferecidas pelo governo federal e o atendimento às demandas dos empresários gaúchos.

Comitiva gaúcha

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp