Chegada do inverno reforça necessidade de vacinação contra gripe e covid-19 no RS

Estado apresenta um aumento de casos de gripe neste ano. Enquanto isso, a frequência de hospitalizações por covid-19 apresentou redução

Publicado por
16:31 - 19/06/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Divulgação/Prefeitura de Caxias do Sul

Com o início do inverno, nesta quinta-feira (20), o governo estadual reforça a necessidade de ampliação dos cuidados com a saúde. A disseminação de vírus respiratórios é favorecida nesta época do ano, em razão das temperaturas mais baixas. Por isso, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) recomenda a vacinação contra a gripe (influenza) e a covid-19, assim como o reforço nas medidas preventivas.

As autoridades de saúde alertam que hábitos relacionados ao frio, como a maior permanência em espaços fechados e com pouca ventilação, facilitam a circulação de microrganismos, principalmente vírus respiratórios. Para combater a disseminação, a vacinação contra a influenza e a covid-19 está disponível em todos os municípios do Estado.

A imunização contra a gripe pode ser feita por pessoas a partir dos seis meses de idade. A campanha anual contra a doença começou em março para os grupos prioritários, e foi aberta para a população em geral em maio. A vacina permanece disponível nas unidades de saúde do Estado.

Em maio, o Rio Grande do Sul também recebeu o primeiro lote da vacina atualizada contra o coronavírus. O público-alvo são crianças de seis meses a menores de cinco anos. Adultos dos grupos prioritários também estão contemplados – como pessoas acima dos 60 anos, gestantes e pessoas com comorbidades.

Estatísticas

Dados revelam que o Estado apresenta um aumento nos casos de gripe neste ano. Um levantamento revela que até 18 de junho, foram registrados 1.140 hospitalizações por influenza, enquanto no mesmo período do ano passado foram 899. Há uma pequena queda de óbitos, de 116 para 107 – mas os dados de 2024 são ainda parciais e podem aumentar, já que o registro nem sempre é feito em tempo oportuno.

No caso da covid-19, a frequência de hospitalizações apresentou uma redução em 2024, considerando o mesmo período de 2023. Foram 2.114 no ano passado e 1.192 em 2024. Quanto aos óbitos, o número chegou a 525 em 2023 e a 275, até o momento, neste ano.

O monitoramento dos dados pode ser acompanhado em uma nova ferramenta implantada pela Vigilância Epidemiológica do Estado. O painel fornece informações atualizadas periodicamente (às terças-feiras e sextas-feiras) sobre as internações por Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG).

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp