Zagueiro do Caxias destaca evolução e adaptação da equipe na busca pelo acesso

Fernando cobrou o pênalti decisivo contra o Ceilândia no último sábado

Publicado por
08:10 - 23/08/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Zagueiro Fernando se consolidou na defesa ao lado de Ricardo Lima

Zagueiro Fernando se consolidou na defesa ao lado de Ricardo Lima (Foto: Vitor Soccol/SER Caxias/Divulgação)

De contestado a decisivo. Quando Fernando, zagueiro do Caxias, colocou a bola na marca da cal, respirou e bateu o último pênalti da série contra o Ceilândia, um filme passou pela mente do defensor grená. Mas, para que esse filme seja ainda melhor, faltam mais duas “gravações”, os jogos decisivos contra a Portuguesa do Rio de Janeiro, que valem o tão sonhado acesso à Série C em 2024.

“O que nos trouxe aqui foi a nossa competência, a entrega, o apoio do nosso torcedor. Mas, chegar nesse momento decisivo do ano, mais uma vez o Caxias se encontra nesse momento. A gente espera dois jogos muito difíceis, sabe da qualidade da Portuguesa”, destacou Fernando em coletiva de imprensa na manhã de terça-feira (22).

O filme do zagueiro Fernando no Caxias também contou com momentos delicados. Assim como a equipe, que teve uma queda de rendimento na fase de grupos mesmo vindo de um vice-campeonato gaúcho, o defensor precisou trabalhar para recuperar o prestígio e buscar novamente ser um destaque em campo. No final da primeira fase, o técnico Gerson Gusmão promoveu uma mudança significativa no setor, sacou o então capitão Dirceu para entrada de Ricardo Lima, e tirou Fernando do lado esquerdo para o direito. Desde então, o grená sofreu apenas dois gols em cinco partidas.

“O meu momento como o da equipe é muito bom. Acho que não é só sobre mim por ter feito o último pênalti ali que nos garantiu a classificação, mas é como um todo”.

Perguntado sobre as adaptações que o time precisou fazer durante a competição, o zagueiro do Caxias destacou que isso é fundamental para uma equipe quer brigar pelo acesso.

“É o que nos traz certa confiança, porque se a gente não for capaz de se adaptar às situações adversas que nos são impostas, como foi lá com o Ceilândia, o calor e um campo menor. Quem quer subir, como o Caxias, tem que superar essas adversidades”.

Nos duelos que valem o acesso, ao lado de todo o setor defensivo, Fernando terá uma tarefa delicada: marcar o experiente centroavante Marcelo Toscano. Aos 38 anos, o camisa 10 da Portuguesa divide a artilharia da Série D com Eron, ambos têm 12 gols na competição.

“A gente sabe que o Toscano tem os seus gols, assim como o Eron tem os dele, mas não foram feitos sozinhos, ninguém ganha sozinho. Acredito que foi um contexto geral, tanto a equipe da Portuguesa como a nossa tem ajudado ambos”.

O primeiro jogo entre Caxias e Portuguesa-RJ está marcado para às 17h30min do próximo domingo (27) no Estádio Centenário. Na terça-feira a direção grená abriu a venda de ingressos, inclusive com promoção especial para os sócios. O duelo de volta será no Rio, no dia 2 de setembro, também às 15h.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp