Um bento-gonçalvense entra em campo no Catar

O fotógrafo Enio Bianchetti trabalha na cobertura dos jogos da Copa a convite de uma agência paulista

Publicado por
14:40 - 07/12/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Assistir a uma Copa do Mundo de futebol é o sonho de toda pessoa que é aficionada por esporte. Para um fotógrafo esportivo, então, não apenas assistir, mas poder trabalhar em uma Copa de dentro do campo, acompanhando as jogadas dos principais jogadores de das principais seleções do mundo todo, é a realização de um sonho. E é exatamente assim que o fotógrafo esportivo Enio Bianchetti, de Bento Gonçalves, encara mais essa aventura em sua vida aos 57 anos de idade. Bianchetti está no Catar desde o dia 30 de novembro para trabalhar na Copa do Mundo da Fifa a convite da agência de fotografia independente Photopress, de São Paulo, e deve ficar até a grande cobertura do jogo final, que será disputado no domingo, 18 de dezembro, no estádio Lusail. De preferência, com o Brasil conquista a taça pela sexta vez.

“A expectativa é muito grande, e tenho certeza que o Brasil será o campeão e que vou fazer fotos maravilhosas”, afirma Bianchetti diretamente de Doha, a capital catari, minutos antes de pegar um metrô em deslocamento para cobrir o treino da seleção brasileira a dois dias da partida contra a Croácia, que pode assegurar a passagem da equipe comandada pelo caxiense Tite para as semifinais da competição, contra a Argentina ou a Holanda.

O técnico da seleção brasileira, aliás, é considerado uma referência pelo fotógrafo de Bento.

“Tenho bastante contato com ele, é uma pessoa simples, da nossa região, incrível e batalhadora”, elogia Bianchetti.

Além dos jogos da seleção brasileira – ele iniciou seu trabalho na última partida da primeira fase da competição, que encerrou com o Brasil em primeiro lugar no seu grupo –, Enio destaca a cobertura de jogos de Portugal e França, seleções que contam com dois dos principais atletas da competição, respectivamente Cristiano Ronaldo e Killian Mbappé.

Para Bianchetti, a Copa do Mundo está sendo muito bem organizada, e Doha é uma cidade linda e acolhedora.

“Está tudo muito bem organizado e seguro”, afirma ele, que precisou enfrentar uma maratona de revistas e inspeções ao deixar o aeroporto da capital.

“Doha é uma cidade muito organizada e limpa, com serviços de primeiro mundo”, revela, destacando também que “as pessoas são muito receptivas”.

O fotógrafo, que iniciou sua trajetória no esporte trabalhando como voluntário para o Clube Esportivo Bento Gonçalves, já colecionou imagens marcantes ao longo destes 15 anos de carreira. Além das conquistas do Esportivo, seu clube do coração, ele ressalta as coberturas do Bento Vôlei e do Farrapos Rugby como especiais em sua vida.

Agora, ele vive o seu maior momento na carreira com a cobertura da Copa do Mundo para a agência paulista, e assegura que estará de volta um dia depois da final. De preferência, com a mala repleta de imagens da conquista da seleção brasileira.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp