Olimpíadas de 2024: Brasil já tem 43 vagas garantidas para os jogos de Paris

Pan-Americano do Chile pode garantir mais vagas para o país

Publicado por
09:43 - 26/07/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Tatiana Weston-Webb é uma das esperanças de medalhas nas Olimpíadas de 2024

Tatiana Weston-Webb é uma das esperanças de medalhas nas Olimpíadas de 2024 (Foto: Miriam Jeske/ COB/Divulgação)

Está aberta a contagem regressiva para as Olimpíadas de 2024. Daqui exatamente um ano os Jogos de Paris terão início. E, o Time Brasil já conta com bons números e expectativa elevada. Até o momento, o país já garantiu 43 vagas, sendo 34 femininas e outras nove masculinas. São 12 para o rúgbi feminino e 18 para o futebol feminino.

Também estão garantidas vagas no ciclismo BMX racing feminino, saltos ornamentais plataforma 10m feminina e masculina e tiro esportivo pistola de ar 10m masculina. No atletismo, o país conseguiu índices para as Olimpíadas de 2024 na maratona masculina, marcha atlética 20km masculina e feminina, arremesso do peso masculino, 400m rasos masculino, 400m com barreiras masculino e 110m com barreiras masculino.

O surfe, esporte que vem rendendo bons frutos nos últimos anos para o Brasil, é uma das modalidades olímpicas de maior expectativa para Paris. Filipe Toledo, atual campeão mundial e líder do circuito, e Tatiana Weston-Webb estão confirmados. A dupla carrega esperança de medalhas para o país.

A expectativa é de que até o final de 2023 o Brasil aumente o número de vagas garantidas, principalmente pelas disputadas de campeonatos mundiais e seletivas qualificatórias. Além disso, o Pan-Americano também é uma garantia de vagas. A competição acontecerá de 20 de outubro a 5 de novembro em Santiago, no Chile. O diretor de Alto Rendimento do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Ney Wilson, falou ao site do Time Brasil sobre essas competições.

“Temos que dar continuidade e sair de Santiago já focado nos Jogos Olímpicos. Estamos bem próximos de atletas e treinadores para dar o suporte necessário em seus planejamentos. Temos trabalhado bastante na proximidade com os atletas e suas equipes para identificar onde podemos contribuir e nos detalhes que podem fazer a diferença no resultado“.

O COB também está trabalhando na parte logística. Em julho, a entidade esteve em Marselha na operação da estrutura de apoio aos atletas durante o evento-teste da vela. Já a partir do próximo dia 30, os olhos se voltam para mais de 15 mil quilômetros de distância da capital francesa, mais precisamente ao Taiti, onde será testada a base de apoio para o surfe durante a etapa de Teahupoo do Circuito Mundial.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp