Renovação abrangente promete revitalizar o Museu da BM em Porto Alegre

A renovação do prédio, realizada em colaboração entre o Comando-Geral da BM e as secretarias de Obras Públicas (SOP) e Segurança Pública (SSP), trouxe nova vida ao edifício de 1910

Publicado por
13:39 - 19/02/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

(Foto: Iphae)

Atualmente, o Museu da Brigada Militar, em Porto Alegre, está passando por um processo de restauração, visando trazer de volta a sua grandiosidade e realçar a sua importância histórica tanto para a instituição, que está prestes a celebrar o seu bicentenário, quanto para a sociedade em geral. O cronograma de finalização da obra, localizada na Avenida Aparício Borges, no bairro Partenon, ao lado da Academia de Polícia Militar (APM), com uma área construída de 320 metros quadrados, é de oito meses, com um investimento de R$ 1,5 milhão. A obra está sendo supervisionada pelo Comando-Geral da BM, em colaboração com as secretarias estaduais de Obras Públicas (SOP) e Segurança Pública (SSP).

O subcomandante-geral da BM, coronel Douglas da Rosa Soares, salienta a importância de preservar o histórico do local para que os visitantes do museu apreciem a grandiosidade que a instituição representa: “A instituição está avançando em seu presente, mas tem suas raízes no passado, com uma história que compartilhamos com a população gaúcha. É crucial não esquecer essa trajetória. O principal objetivo dessa renovação é conservar essa história para que as pessoas que visitam o museu, um verdadeiro tesouro do estado, possam testemunhar a grandiosidade da instituição”.

O comandante-geral da Brigada Militar, coronel Cláudio dos Santos Feoli, expressa orgulho na identidade consolidada da instituição: “A preservação e estruturação dessa história são mais do que bem-vindas, são necessárias. Elas resgatam os 186 anos de serviço à população gaúcha, nos lembram do que nos distingue e reforçam o caminho e os feitos que nos trouxeram até aqui”.

O edifício, construído em 1910 e transformado em museu em 1985, por decreto do governador Jair Soares, também foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae) em 1990. Apesar de estar atualmente desocupado e em estado de deterioração, o local ainda exala história em cada detalhe.

Os trabalhos começaram com a remoção do reboco e telhas danificadas, seguidos pela restauração das alvenarias, esquadrias, portas, janelas, muros e grades. Também está planejada a restauração da fachada, a construção de um espaço específico para exposição de uniformes e a reforma da parte elétrica do edifício, bem como a instalação de climatização.

A Secretária de Obras Públicas (SOP), Izabel Matte, enfatiza que o trabalho, realizado pela Construtora Costamar Ltda., será fiscalizado com rigor: “Esta é uma obra aguardada há anos. Acompanharemos cada etapa para que o contrato seja cumprido, permitindo que este prédio público de grande valor histórico seja devolvido à sociedade e à Brigada Militar”.

Apesar dos desafios enfrentados durante a licitação, com duas tentativas fracassadas antes da terceira, o coronel Douglas espera que o trabalho seja executado com rigor histórico e técnico, conforme o projeto exige. Ele destaca ainda a importância das fardas no museu, afirmando que “algumas delas ganharam apelidos ao longo da História”.

“Ao adentrar o museu, muitos se impressionam com a grandiosidade da Brigada Militar, uma instituição formada na guerra e com o único propósito de proteger o povo gaúcho. Talvez essa seja a importância do museu, transmitir a quem não conhece ou apenas viu superficialmente toda a importância histórica e simbólica que esse lugar representa”, conclui o coronel Douglas.

*Informações do Correio do Povo

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp