Pré-candidatos do PT, PL e União são alvo do MP por desvio de doações ao RS

Os investigados são Filipe Lang (PT-RS), Polon Backes de Oliveira (União Brasil-RS) e Manoel Antunes Neto (PL), todos de Palmares do Sul

Publicado por
20:31 - 11/06/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

(Foto: Divulgação/Montagem)

O Ministério Público do Rio Grande do Sul está investigando três vereadores e pré-candidatos às eleições municipais deste ano por suspeita de desvio de doações destinadas às vítimas das enchentes que devastaram o estado no mês passado. Os investigados são Filipe Lang (PT-RS), Polon Backes de Oliveira (União Brasil-RS) e Manoel Antunes Neto (PL), todos de Palmares do Sul, a 90 quilômetros de Porto Alegre.

Detalhes da investigação

Os vereadores teriam desviado as doações para famílias não afetadas pelas cheias. “Já temos provas de que parte destes donativos foi encaminhada para famílias não flageladas”, afirmou o promotor Mauro Rockenbach, do Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado). A investigação teve início com Manoel Antunes Neto, sua esposa e o secretário municipal de Administração, Rodrigo Machado Martins, no último dia 4. No dia 8, Filipe Lang foi preso em flagrante com uma arma sem registro, e Polon Backes de Oliveira foi encontrado com R$ 15 mil em dinheiro vivo.

Defesas e alegações

Filipe Lang justificou que a arma sem registro era um presente antigo do avô e negou que as doações tenham beneficiado pessoas não afetadas, afirmando que foram entregues a um bairro que abriga aproximadamente 3.000 pessoas cujas casas foram alagadas. Polon Backes de Oliveira declarou que os R$ 15 mil eram honorários por seus serviços de advogado e afirmou ter evitado que as doações passassem pela prefeitura devido a denúncias de uso político dos donativos.

Manoel Antunes Neto e o secretário de Administração, Rodrigo Martins, afirmaram serem vítimas de calúnia. “Fui, assim como o secretário Rodrigo, alvo de denúncias caluniosas feitas por adversários políticos”, disse Neto em nota. Martins alegou que a polícia não encontrou evidências em sua casa e que as denúncias anônimas apenas atrasaram o trabalho dos órgãos de justiça e policiais.

Confirmação de desvios pelo ministro

Paulo Pimenta, ministro extraordinário pela reconstrução do estado, confirmou as suspeitas de desvios, mencionando que sua secretaria enviou 18 toneladas de donativos a uma igreja em Palmares do Sul que deveriam ser distribuídas, o que não ocorreu conforme o planejado. “Fomos informados agora que o nome da igreja foi usado para repassar esses donativos a lugares que parecem não ser os apropriados”, disse o ministro.

Outras Investigações

O vereador Deoclécio Mello (PSDB), de Cachoeirinha, na região metropolitana de Porto Alegre, também está sendo investigado por suspeita de usar uma ONG, a Vida Viva, para desviar doações. A ONG foi alvo de busca e apreensão em 19 de maio, mas a família Mello alegou perseguição política.

Impacto das enchentes

As enchentes causaram grandes danos no Rio Grande do Sul, com 175 mortes confirmadas e 38 pessoas ainda desaparecidas. Aproximadamente 2,3 milhões de gaúchos foram afetados pelas cheias, conforme a Defesa Civil.

*Via Uol 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp