Participantes de quadrilha responsável pelo “golpe da portabilidade” na Serra Gaúcha são presos pela Polícia Civil

Dentre as cidades citadas no registro constam vítimas de Bento Gonçalves, Carlos Barbosa e Farroupilha

Publicado por
21:41 - 11/04/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

(Foto: Polícia Civil)

Foram presos os participantes de um esquema de estelionatos aplicados em diversas cidades gaúchas, inclusive na Serra, nas cidades de Bento Gonçalves, Carlos Barbosa e Farroupilha. O banco Banrisul foi enquadrado como vítima do golpe, com prejuízo estimado em R$ 400 mil.

A Polícia Civil, por meio da 1ª Delegacia de Combate à Corrupção (1ª DECOR), da Divisão Estadual de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (DCCOR), deflagrou a segunda fase da Operação Crédito 1 Segundo, visando desarticular associação criminosa que pratica os delitos de estelionato, nas modalidades simples e majorada, contra a Administração Pública, tendo em vista que foram identificados diversos casos em que o banco Banrisul foi vítima.

Na manhã desta terça-feira (11), foram cumpridas 07 ordens judiciais expedidas pelo Poder Judiciário da Comarca de Tramandaí, consistentes na decretação de 03 prisões preventivas de indivíduos responsáveis pelas práticas dos crimes investigados, as quais estão sendo cumpridas nos Municípios de Gravataí e Cachoeirinha, e em uma cela de estabelecimento prisional da Região Metropolitana. Ademais, foram cumpridas outras 04 ordens judiciais de mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados e no sistema prisional.

Segundo o Delegado de Polícia Max Otto Ritter, as investigações recaem sobre o já conhecido “golpe da portabilidade” em que a associação criminosa promove abertura de contas bancárias falsas, reencaminhando benefícios de aposentadoria para a instituição financeira vítima que, por sua vez, concedia vultosos empréstimos consignados em nome de pessoas que tinham seus dados indevidamente utilizados pela associação criminosa.

O prejuízo causado ao Banrisul atinge, em apenas 08 (oito) dos casos identificados, cerca de 400 mil reais.

Fotos: Polícia Civil

(Foto: Polícia Civil)

Municípios das vítimas envolvidas

Balneário Pinhal/RS, Porto Alegre/RS, Sapucaia do Sul/RS, Cachoeirinha/RS, Parobé/RS, Farroupilha/RS, Bento Gonçalves/RS, São Lourenço do Sul/RS, Carlos Barbosa/RS, Montenegro/RS e Tubarão/SC.

O Banrisul se pronunciou por meio de nota a imprensa, que destaca: 

“O Banrisul atualiza permanentemente suas medidas preventivas de segurança bancária e implementou novas ações que possibilitam a consulta e verificação dos documentos, com validação dos dados e foto dos titulares das contas bancárias, utilizando a base de fotografias das carteiras nacionais de habilitação e realizando consulta que retorna a foto do portador da carteira de identidade.

Por meio do monitoramento realizado pela segurança do Banrisul, já foram detectadas, em diversas oportunidades, tentativas de fraudes no momento da abertura de contas bancárias e, de imediato a autoridade policial foi acionada, resultando, no ano de 2022, em várias prisões por meio das ações integradas entre o Banrisul e as autoridades policiais.

O Banrisul mantém controle rígido dos processos internos, atualizando as medidas internas com o objetivo de prevenir e mitigar os riscos de tentativas de fraudes, com melhorias em sua base de informações, reforçando as orientações à rede de agências quanto aos cuidados aplicáveis por ocasião da abertura da conta e atualização do cadastro.

Nos episódios de identificação de casos suspeitos, imediatamente são tomadas medidas administrativas de investigação e reparação de eventuais danos. Quando cabível, é realizada comunicação à autoridade pública com subsídios apurados pela instituição, mantendo colaboração constante com o procedimento investigatório.” 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp