Município de Travesseiro, no Vale do Taquari, registra primeiro óbito por Leptospirose diante das enchentes no RS

Além do óbito, outros três casos estão sendo monitorados na cidade. Confira os sintomas

Publicado por
14:07 - 19/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Município de Travesseiro, no Vale do Taquari, registra primeiro óbito por Leptospirose

Imagem ilustrativa. Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

A cidade de Travesseiro, no Vale do Taquiri, registrou seu primeiro óbito por leptospirose. Eldo Gross, de 67 anos, residente na localidade de Barra do Fão, faleceu devido à doença. O caso ocorre em meio às enchentes enfrentadas pelo Rio Grande do Sul desde o final de abril.

Além do óbito, outros três casos de leptospirose estão sendo monitorados. Segundo a Secretaria de Saúde local esses casos foram contraídos durante a recente enchente. O município tem alertado a população sobre os cuidados necessários no período pós-enchente para evitar doenças como leptospirose, hepatite e tétano. O município de Lajeado também tem 18 casos suspeitos de leptospirose sendo monitorados pela Vigilância Epidemiológica.

A leptospirose é uma doença bacteriana que pode ser contraída através do contato com água ou lama contaminadas, causada pela bactéria Leptospira. Os sintomas incluem febre, dor no corpo, mialgia e dor nas panturrilhas. Qualquer pessoa que tenha tido contato com água de enchente e apresente esses sintomas deve buscar atendimento médico imediato. Os sintomas podem variar desde formas leves até quadros mais graves.

Sintomas iniciais (geralmente surgem de 2 a 30 dias após a exposição à bactéria):

  • Febre alta e súbita;
  • Calafrios;
  • Dor de cabeça intensa;
  • Dor muscular, especialmente nas panturrilhas e costas;
  • Dor nos olhos, que podem ficar avermelhados;
  • Náuseas e vômitos;
  • Fadiga;
  • Perda de apetite.

Sintomas de formas mais graves da doença (ocorrem em alguns pacientes após a fase inicial):

  • Icterícia (amarelamento da pele e dos olhos);
  • Insuficiência renal (redução da produção de urina, inchaço);
  • Hemorragias (podendo surgir manchas roxas na pele, sangramento nasal ou gengival);
  • Alterações pulmonares, podendo evoluir para dificuldade respiratória e tosse com sangue;
  • Meningite (inflamação das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal).

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp