Financiamento de veículos cai 56,6% no RS em relação a abril

Número reflete o impacto econômico da crise climática no Rio Grande do Sul

Publicado por
15:13 - 17/06/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil/ Arquivo

No mês de maio, o Rio Grande do Sul foi responsável pelo financiamento de 15,3 mil veículos, entre novos e usados, de acordo com dados da B3. No total, o Estado teve queda de 56,6% no número de financiamentos na comparação com abril e de 47,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

No segmento de autos leves, a queda foi de 56,7% comparado com abril e de 47,9% ante o mesmo período do ano passado. Em financiamento de motos, houve queda de 54,8% em relação ao mês anterior e de 43,5% na comparação com maio de 2023. Já o número de financiamento de veículos pesados foi 55% menor do que em abril e 47,3% menor do que no mesmo período do ano passado.

Os números refletem o impacto econômico da crise climática no Rio Grande do Sul. No mês de maio, devido às enchentes, o Detran do estado não operou entre os dias 07 e 25. Por consequência, os apontamentos de gravame deixaram de ocorrer nesse período, ocasionando um represamento das operações.

A conexão foi restabelecida no dia 26 de maio e parte das operações represadas acabaram sendo efetivadas nos últimos dias de maio. Outra parte acabou sendo transbordada para os primeiros dias de junho. Os financiamentos de veículos no Rio Grande do Sul representavam 5,8% do total do Brasil até abril desse ano. Em maio, essa representatividade caiu para 2,6%.

A B3 opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG), a maior base privada do País, que reúne o cadastro das restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de crédito em todo território nacional.

Já em nível nacionais, as vendas financiadas de veículos novos e usados aumentaram 15,4% em maio deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado. Foram vendidas 577 mil unidades incluindo autos leves, motos e veículos pesados em todo o país. Já na comparação com o mês de abril deste ano, houve queda de 5,6%,

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp