Desabamento na RS-240 aumenta risco de alagamentos em Capela de Santana

A Prefeitura do município alertou para o risco de alagamentos nas margens do Arroio Mineiro, Trilhos, Estação, Arrozeira e demais localidades próximas

Publicado por
22:17 - 20/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Prefeitura Municipal de Capela de Santana

Na noite desta segunda-feira (20), o quilômetro 20 da RS-240, localizado em Capela de Santana, desabou devido às inundações históricas que assolam o Rio Grande do Sul. A rodovia, que havia sido interditada por volta das 17 horas por causa de uma ruptura provocada pelas fortes chuvas, foi atendida prontamente pela Defesa Civil, que está removendo as pessoas das áreas de risco.

Desabamento e Resposta das Autoridades

O colapso no dispositivo de drenagem da rodovia agravou a situação, aumentando significativamente a vazão da água represada na margem da rodovia em direção aos Arroio Amoras. A Prefeitura de Capela de Santana alertou para o risco de alagamentos nas margens do Arroio Mineiro, Trilhos, Estação, Arrozeira e demais localidades próximas.

Impacto nas Comunidades Locais

Relatos já indicam que a região central da cidade está enfrentando alagamentos. A Defesa Civil e as autoridades locais estão mobilizadas para monitorar a situação e prestar assistência às comunidades afetadas. As fortes chuvas e o subsequente desabamento da RS-240 exacerbam a crise causada pelas enchentes no estado, colocando em risco as residências e a infraestrutura local.

Medidas de Emergência

A Defesa Civil está priorizando a remoção das pessoas das áreas de risco e reforçando a necessidade de os moradores das regiões afetadas buscarem locais seguros. A continuidade das chuvas intensifica a necessidade de respostas rápidas e coordenadas para minimizar os danos e garantir a segurança da população.

Situação em Capela de Santana

Com a RS-240 desabada, o tráfego na região está severamente comprometido, dificultando o acesso e a saída da cidade. As autoridades recomendam que os motoristas evitem a área e busquem rotas alternativas até que a situação seja normalizada.

CSG emite nota 

A CSG informou em nota que ocorreu na noite desta segunda-feira (20) uma ruptura de pista na ERS-240, km 20,5 em Capela de Santana. O trecho vinha sendo monitorado pela companhia desde o dia 30 de abril. A empresa disse que já vinha trabalhando desde a última quarta-feira (15) no local para drenar o volume excessivo de água na borda da pista causado pelas fortes chuvas que resultaram na maior catástrofe climática da história do estado do Rio Grande do Sul.

Confira a nota na íntegra:

“A CSG informa que ocorreu na noite desta segunda-feira (20) uma ruptura de pista na ERS-240, km 20,5 em Capela de Santana.

O trecho vinha sendo monitorado pela companhia desde o dia 30 de abril. A equipe da empresa já vinha trabalhando desde a última quarta-feira (15) no local para drenar o volume excessivo de água na borda da pista causado pelas fortes chuvas que resultaram na maior catástrofe climática da história do estado do Rio Grande do Sul.

A concessionária acrescenta que o trecho foi bloqueado totalmente às 16h30 desta segunda, sem incidentes e sem qualquer risco aos motoristas e demais usuários da rodovia.

Também na tarde desta segunda-feira, após a constatação de perigo iminente, a companhia comunicou a Defesa Civil para que alertasse a população sobre o risco de desmoronamento da pista e, consequentemente, invasão de água no perímetro urbano.

Desde a pausa das últimas chuvas, no dia 15 de maio, a CSG instalou uma bomba hidráulica de alta potência para drenar a água acumulada e reduzir a pressão hidráulica no aterro da rodovia com o objetivo de, posteriormente, substituir a linha de bueiro existente por uma galeria de águas pluviais mais adequada. Durante os trabalhos, na tarde desta segunda-feira (20), a CSG observou que o local não estava suportando a pressão hidráulica ainda existente, constatando o perigo.

A CSG se solidariza com os moradores dos bairros afetados pela vazão do volume de água represado. A companhia está em contato com a Defesa Civil e com a prefeitura de Capela de Santana para avaliar os danos e, prontamente, restabelecer as condições de tráfego e prover a máxima segurança à população.”

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp