Pais e mães de alunos do Colégio Apolinário realizam protesto em frente a instituição em Caxias do Sul

Protesto teve como motivo a interdição da escola, que ocorre desde o dia 8 de Dezembro, devido a problemas elétricos. Alunos foram realocados para o Colégio Evaristo de Antoni

Publicado por
22:57 - 20/02/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
apolinário

Foto: Cristiano Gauer / Grupo RSCOM

Um protesto de pais e mães de alunos Escola Estadual Professor Apolinário Alves dos Santos marcou o final de tarde desta terça feira (20). O protesto ocorreu na frente da instituição, que fica localizada na Rua Atílio Andreazza, encontro com a Perimetral Norte de Caxias do Sul.

A escola, que fica localizada no Bairro Sagrada Família, está interditada desde o dia 8 de Dezembro em virtude de problemas na rede elétrica. No local, foram registrados curtos-circuitos na fiação das salas de aula e outros espaços da instituição.

Dessa forma, 580 estudantes foram realocados e encaminhados para à Escola Estadual de Ensino Médio Evaristo de Antoni, no bairro São José. Essa situação, prejudica os estudantes das duas escolas, tendo em vista que no Evaristo, existem salas em que mais de uma turma ficam juntas, prejudicando o ensino. Outro fator é logística que os estudantes do Apolinário estão sendo obrigados a adotar. É o que explica a diretora do Apolinário, Marili Rigon Zandoná. A diretora cita que a rede elétrica é a prioridade das reformas, para que os alunos possam retornar a escola de origem.

“Quem mais perde são os estudantes, porque inclusive nós temos turmas juntas, duas turmas do ensino médio, duas turmas do ensino fundamental numa única sala, estão mais aglomerados e vários pais já pediram transferências e outros tentando fazer alguma atividade em casa por não terem condições financeiras e também de conseguir levar até o Evaristo. O pessoal do Evaristo, os alunos do Evaristo também estão sendo prejudicados porque foram retirados salas deles, salas de uso deles também, então eles tiveram também que se readequar a isso, então são duas escolas sendo prejudicadas, duas comunidades sendo prejudicadas. Neste momento a energia elétrica, a volta da energia elétrica”, disse a diretora.

O processo de licitação para eventuais problemas em escolas é dito como um fator que prejudica a efetividade das ações, principalmente pela burocracia que o processo. O Governador do Estado, Eduardo Leite (PSDB), também compartilha dessa opinião. Em uma fala recente, Leite ressaltou que R$ 34 milhões estão destinados para escolas estaduais de Caxias. Porém não é a verba em si que trará as soluções. O governador afirma que a desburocratização dos processos é o que vai trazer resultados efetivos para as escolas.

“Em Caxias tem pelo menos 34 milhões de reais em obras já contratadas ou encaminhadas com recursos do Governo do Estado. O que vai nos ajudar a dar um salto na expectativa nesse ano é uma nova modalidade de contratação das obras. O que acontecia no Governo do Estado até aqui era para cada demanda de escola, então caiu um telhado, um muro, um problema na rede elétrica, o Estado tinha que mandar engenheiros fazerem projeto e buscar encaminhar para cada uma das demandas fazer uma licitação específica”, disse Eduardo Leite.

Os pais e mães dos Alunos do Apolinário estão planejando outro ato de protesto, na próxima sexta feira (23).

 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp