Grupo de Capoeira inaugura espaço no Parque dos Macaquinhos em Caxias do Sul

Parceiros e apoiadores viabilizam espaço que será destinado para os capoeiristas da cidade e de outros lugares

Publicado por
11:59 - 23/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Grupo de Capoeira inaugura espaço no Parque dos Macaquinhos em Caxias do Sul

Fotos: Off Photo/ Arte Florência Menegolla

Uma ideia de Paulo Sergio Nunes da Silva, o Mestre Chocolate, fundador do Grupo de Capoeira Liberdade, um dos mais antigos de Caxias do Sul, recebeu uma série de parceiros e apoiadores e, no próximo sábado, dia 25 de maio, ganha vida no Parque dos Macaquinhos, em Caxias do Sul.

Às 15h, será inaugurado o espaço “Capoeira – A Roda é Nossa”, um lugar para todos os capoeiristas, tanto de Caxias do Sul, quanto de outros lugares.

O meu mestre teve contato com um coletivo de capoeiristas do interior do Estado, em um evento realizado na cidade de Pelotas, e quando voltou de lá, teve a ideia de nos reunirmos aqui em Caxias e termos um símbolo”, conta o professor Wagner Padilha (Tucano).

Padilha, então, criou o nome “Capoeira – A Roda é Nossa”, desenhou o logotipo e enxergou nesse espaço do parque, que estava vazio e sofrendo os efeitos da desocupação, um lugar perfeito para a execução da ideia. Fez contato com as secretarias municipais envolvidas no assunto e obteve o apoio da prefeitura, que era indispensável. “A prefeitura foi muito receptiva, nos ajudou com limpeza, pintura e colocação das placas. Estamos muito felizes pela Capoeira ter sido acolhida e agora ter um lugar oficial na cidade”, afirma. A intenção é que exista um calendário oficial de atividades, que deve começar com uma por mês, e que, também, os grupos passem a utilizá-lo de forma orgânica.

Para que o cimento ganhasse a companhia da arte, já que a cultura faz parte da Capoeira, Padilha procurou o Instituto SAMbA, que também entrou como apoiador. A mureta, que já recebeu uma pintura base feita pela prefeitura, neste sábado, será a tela para um desenho que teve o conceito definido pela diretora criativa do Instituto, Florência Menegolla.

Reconhecendo a capoeira como uma forma de expressão que funde luta e dança, as artes se desdobram em representações que tentam capturar sua essência. A música do berimbau é transcrita em partituras, enquanto a cartografia visualiza o pulsar dessas batidas no coração do Parque dos Macaquinhos”, explica ela, complementando que, a partir de obras do artista Carybé, a energia da capoeira é transmitida através de cores e movimentos vibrantes com excelência. Dessa forma, acredita Florência, o espaço se funda como um tributo ao símbolo de resistência e cultura brasileira, em uma celebração da identidade nacional.

Para levar ao muro essa concepção e ao chão o logotipo desenhado por Padilha, foi convidado o artista Róger Zortéa, que também entra como apoiador do projeto. “É sempre gratificante fazer parte desses projetos, ser lembrado e convidado a participar. Quanto mais arte tivermos espalhada por Caxias do Sul, melhor será para a cidade, porque a arte é uma forma de conectar os espaços com as pessoas”, define.

 

Esse também é o entendimento do coletivo Vivacidade, mais um apoiador da iniciativa. Conforme a presidente, Paula Valduga, ver um espaço ganhar cor e uso, o que naturalmente o torna mais convidativo para as pessoas, contribui para o senso de pertencimento e a humanização da cidade.

Estamos ao lado desse movimento iniciado pela Capoeira, porque entendemos que todas as ações que procurem incentivar o uso de locais como esse contribuem para o entendimento de que o espaço público é nosso e, portanto, deve ser vivido e cuidado por nós”, completa.

Esses apoios, que ainda contam com Off Photo, Farol Comunicação e Print Express, são apenas mais uma demonstração do quanto essa é uma ideia que nasceu do Mestre Chocolate, mas tem a execução e o futuro coletivos. Na placa, há a citação de outros grupos, deixando claro de que se trata de um lugar para qualquer pessoa que queira jogar.

A Capoeira é uma importante ferramenta de educação, esporte e cultura, trabalha valores éticos e morais e atua como um meio de se criar cidadãos”, complementa Padilha. Além das pessoas, todos esses valores estarão nas rodas do Parque do Macaquinhos a partir de sábado. E não lugar melhor do que um espaço público para se exercer a cidadania.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp