Desafio nas compras: materiais escolares em Caxias do Sul registram aumento de 10,4%

Dados são da pesquisa de intenção de compras da CDL; será que os caxienses sentiram a diferença no bolso?

Publicado por
19:55 - 08/02/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Desafio nas compras: materiais escolares em Caxias do Sul registram aumento de 10,4%. (Foto: Luiza Fim / Divulgação)

Desafio nas compras: materiais escolares em Caxias do Sul registram aumento de 10,4%. (Foto: Luiza Fim / Divulgação)

O início do ano letivo de 2024 vem se aproximando e com ele a compra dos materiais escolares. Segundo dados da pesquisa de intenção de compras da CDL Caxias, houve um aumento de 10,4% no tíquete médio em relação ao ano anterior. Os gastos básicos, a partir da lista disponibilizadas pelas escolas da rede pública devem ser de R$ 261,18 por aluno. 

A pesquisa mostra que os consumidores estão mais cuidadosos em relação à qualidade, preço e atendimento, com 65,9% dos entrevistados fracionando suas compras em busca de preços mais vantajosos. A redação do Portal Leouve foi para centro da cidade de Caxias do Sul acompanhar a movimentação do comércio.

A psicóloga Luciana Bálico, de 45 anos, estava junto dos filhos Lorenzo e Vicenzo, fazendo a compra dos materiais escolares. Ela relatou que sentiu que os preços estão mais “salgados”.

“Eu não sei se o poder aquisitivo da gente que reduziu, se foi a inflação que subiu, mas eu senti que está mais caro. A gente faz alguns tratos, algumas coisas eu escolho, para outras eu dou uma margem. O que eu libero mesmo, na verdade, são os cadernos pra eles escolherem e dar uma incentivada, né”, explica Luciana.

Ela garante que sempre pesquisa os preços, e realiza as compras em diferentes lojas para aproveitar as promoções. Outra alternativa que a psicóloga utiliza para a redução dos custos é a reciclagem de materiais de anos anteriores.

O levantamento revela também que os gastos médios com uniformes e transporte escolar devem aumentar em 5,9% e 7,1%, respectivamente, refletindo um impacto econômico mais amplo nas despesas relacionadas à educação.

Apesar da diversificação de opções de compra, a preferência pela compra presencial é destacada, com 74,4% escolhendo livrarias. A possibilidade de comparação rápida entre produtos e a oportunidade de ver e testar os itens são fatores levados em consideração.

Suzane, arquiteta de 34 anos, estava junto do afilhado Joaquim de 12, em busca da compra dos materiais escolares. “É o nosso primeiro ano, de compras juntos. Eu geralmente saía com ele pra comprar brinquedo, ou alguma coisa assim, mas daí como ele tá maiorzinho agora, então a gente quis mudar um pouco esse ano, e o presente foi mais educativo“, explica a arquiteta.

Suzane e Joaquim realizando a compra do material letivo de 2024. (Foto: Luiza Fim / Divulgação)

A livraria escolhida é tradição da família, Suzane conta que na sua época de escola costumava fazer as compras de seus materiais escolares no mesmo lugar, porém fazendo uma rápida comparação ela diz que os preços estão mais caros quando comparados  com a sua época.

“A mãe dele inclusive pediu ajuda pra essa parte, justamente porque ela sabia que ia ser um valor elevado ainda mais que tem uniforme e soma com várias outras coisas, então se os dindos ajudarem, facilita também pra ela, né”, finaliza Suzane.

A pesquisa citada ao longo da matéria foi realizada com 632 moradores de diferentes pontos da cidade, entre os dias 24 e 27 de janeiro de 2024. O levantamento tem índice de confiança de 95% e margem de erro de 5% para mais ou para menos.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp