Aeroporto de Caxias do Sul supera número de operações dos primeiros meses de 2023

Em 2024, foram 3.001 pousos e decolagens nos primeiros cinco meses do ano, ante a 1.640 no ano passado. Aumento se deve ao fechamento temporário do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre

Publicado por
09:10 - 10/06/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Aeroporto Hugo Cantergiani supera número de operações dos primeiros meses de 2023

Foto: Rodrigo Rossi/ Divulgação

A Prefeitura de Caxias do Sul informa os números que o Aeroporto Hugo Cantergiani tem demonstrado nos primeiros meses de 2024. Entre janeiro e maio, o equipamento já superou o número de pousos e decolagens do mesmo período do ano passado. Em 2024, foram 3.001 operações nos primeiros cinco meses do ano, ante a 1.640 operações em 2023. A média mensal saltou de 339 para 600 operações. O superávit em relação ao ano passado é de 83%.

O resultado positivo no relatório se deve principalmente ao trabalho da administração aeroportuária no último mês, decorrente das enchentes que assolaram o Rio Grande do Sul. Com o fechamento do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, muitas operações foram deslocadas para o terminal caxiense. Na comparação mensal, em maio de 2023, foram realizadas 350 operações, contra 1.470 ocorridas em maio de 2024.

De acordo com o diretor Cleberson Babetzki, o aumento no número de operações foi bem administrado pelo terminal, que conseguiu suprir a demanda de trabalho.

O aumento nas operações se deve em parte aos voos com ajuda humanitária e aos voos comerciais que veem ao município neste período em que o aeroporto de Porto Alegre se encontra fechado. Destacamos que a nossa equipe do Aeroporto Hugo Cantergiani conseguiu suprir a demanda sem nenhum incidente e este é um dos fatos que levaram as companhias aéreas a olharem para Caxias do Sul com outros olhos, com possibilidade de ampliação do número de voos, agregando resultado positivo econômico para o município e a região da Serra Gaúcha, principalmente nos modais de turismo e negócios”, destaca.

Os números apresentados incluem operações de pousos e decolagens de aeronaves comerciais e voos civis da aviação executiva, bem como transporte de enfermos e equipes de resgate que participaram das operações de busca e salvamento durante as enchentes do Rio Grande do Sul.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp