Ação do MPRS desarticula organização ligada a homicídios e tráfico de armas e de drogas

Foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão em Erechim, Passo Fundo, Caxias do Sul, Porto Alegre, Charqueadas e Alvorada contra grupo associado à facção envolvida em ameaças contra juiz e promotor

Publicado por
17:38 - 29/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Operação Plenário sendo realizada no Presídio Regional de Caxias do Sul | Foto: MPRS

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Rio Grande do Sul (GAECO/MPRS) deflagrou, nesta quarta-feira, 29 de maio, a Operação Plenário, visando desmantelar um grupo criminoso associado a uma facção envolvida em ameaças durante um júri em Erechim. A operação ocorreu em seis cidades do estado: Erechim, Passo Fundo, Caxias do Sul, Porto Alegre, Charqueadas e Alvorada.

Ações da Operação

Foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão. A investigação envolve 19 suspeitos, com a organização criminosa sendo acusada de homicídios, intimidações à população e autoridades, tráfico de drogas e armas, além de roubos.

Declarações das Autoridades

O coordenador do GAECO, promotor de Justiça André Dal Molin, enfatizou a firmeza do grupo em responder a qualquer atentado ou intimidação contra agentes públicos, incluindo promotores de Justiça e magistrados, especialmente durante suas funções em audiências e Tribunais do Júri.

Ameaças e Investigação

A investigação começou após um membro do grupo criminoso ameaçar de morte um juiz e um promotor de Justiça durante a leitura de uma sentença condenatória em um júri. O promotor de Justiça Diego Pessi, coordenador do 7° Núcleo Regional do GAECO – Planalto, detalhou que a apuração identificou quatro núcleos distintos dentro da organização criminosa. Com a conclusão da investigação, foram autorizadas judicialmente prisões, apreensões, bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens dos suspeitos.

Envolvimento das Autoridades

A operação contou com a participação da Brigada Militar e do GAECO do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). O promotor Diego Pessi destacou a audácia da organização criminosa, evidente quando um de seus membros ameaçou de morte o magistrado e o promotor durante a leitura da sentença condenatória no Tribunal do Júri em Erechim.

Participação dos Promotores

Além de Diego Pessi, outros promotores de Justiça, incluindo Guilherme Martins, Cristiano Ledur, Maristela Schneider e Manoel Antunes, participaram ativamente da operação.

MPRS

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp