De importância estratégica, Envase 2026 deverá ser gerida por empresários do setor

Assim como outras feiras realizadas em Bento Gonçalves, a ideia é de que a administração seja comunitária e setorial

Publicado por
21:31 - 24/04/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

A importância estratégica da feira Envase Brasil para a região da Serra Gaúcha é considerada como indiscutível. Isso porque 15 das 20 maiores empresas do setor de envase para bebidas estão localizadas num raio de 60km a partir de Bento Gonçalves. Desta forma, o presidente do CIC-BG, Calos Lazzari, além de comemorar a realização da feira e o bom movimento de visitantes nesta terça-feira, já vislumbra novos desafios para a 16ª edição, que será realizada em abril de 2026.

“Precisamos atrair mais empresas e produtos correlatos”, exemplifica citando a refrigeração industrial.

Outra mudança que o presidente considera importante: assim como Movelsul, Fimma e ExpoBento, que são geridas de forma voluntária por empresários do setor, poderia ser criada uma diretoria, com representantes de Caxias do Sul e municípios vizinhos.

O sócio-proprietário da Mesal, João Paulo Kronhardt – indústria expositora desde a primeira edição da feira, mostrava satisfação na tarde desta quarta-feira.

“Sempre estamos presentes e a feira gera negócios sim, mas nós a vislumbramos do ponto de vista de aproximação com o nosso cliente, podemos levá-los até a nossa indústria, conhecer nosso parque fabril e certamente aqui se geram novos contatos e negócios futuros”, salienta João Paulo.

O empresário reforça que Bento Gonçalves é um celeiro das indústrias de envase, e que a Mesal é uma das maiores do país.

“Assim como nós crescemos na esteira das indústrias de bebidas, acreditamos fortemente que a Envase vai crescer também, mas hoje já não temos dúvida sobre a importância deste evento”, reforça Kronhardt.

A feira teve o segundo dia da avaliação das 950 rótulos que participaram da segunda Copa Sul Americana de Cervejas e cujas marcas vencedoras devem ser conhecidas hoje. A avaliação é feira por 40 jurados e juradas (foto abaixo)

Caipirinha

Nesta quarta, também foi dia de destacar um dos maiores símbolos nacionais: a caipirinha feita com cachaça. Em uma promoção da Associação dos Produtores de Cana-de-Açúcar e Seus Derivados do Estado do Rio Grande do Sul (Aprodecana), cujo vice-presidente é Filipe Toledo (também presidente da Confraria Gaúcha da Cachaça), teve worksop de drinques.

O professor César Queiroz mostrou a maneira correta de fazer a caipirinha genuinamente brasileira. Ele ainda revelou que há mais um drinque que terá esta marca, de ser reconhecido como criação nacional: o rabo de galo.

PARA NÃO ERRAR:

Caipirinha

– 1 limão picado

– 50 ml de cachaça prata

– 40 ml de xarope de açúcar

Modo de preparo: Em uma coqueteleira com gelo, coloque os ingredientes e amasse o limão; acrescente gelo e bata até que a coqueteleira fique gelada por igual. Ponha num copo e decore com uma fatia de limão;

Rabo de galo

– 20 ml de cynar (aperitivo de alcachofra)

– 20 ml de vermute tinto

– 50 ml de cachaça envelhecida

Modo de preparo: Em um mixing-glass com gelo, coloque todo os ingredientes, mexa e coe para um copo baixo com gelo. Decore com limão

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp