Bento Gonçalves se despede do renomado ginecologista e obstetra Jayme Gudde

O médico tinha 95 anos de idade. Ele faleceu esta semana, devido a problemas respiratórios

Publicado por
11:35 - 11/07/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Morre Jayme Gudde, renomado ginecologista e obstetra de Bento Gonçalves, aos 95 anos

Foto: Arquivo Pessoal/Especial Leouve

Faleceu na terça-feira (9), por volta das 12 horas, o renomado ginecologista e obstetra Jayme Gudde, aos 95 anos. Desde 2021, ele enfrentava problemas respiratórios devido a uma embolia pulmonar, que evoluiu para insuficiência respiratória, causa de sua morte. Natural de Estrela, Gudde dedicou grande parte de sua carreira médica em Bento Gonçalves.

Henrique Gudde, filho do médico, compartilhou detalhes sobre a trajetória profissional e pessoal de seu pai em entrevista à reportagem do Grupo RSCOM.

Jayme Gudde chegou a Bento Gonçalves por volta de 1957, a serviço do governo estadual, para combater a hanseníase. Ele se estabeleceu na cidade, trabalhou no Hospital Jorge e depois no Círculo Operário, onde contribuiu para a criação do banco de sangue local. Posteriormente, começou a trabalhar no Hospital Tacchini, onde atuou por décadas. Inicialmente, ele praticava diversas áreas da medicina, incluindo pediatria e cirurgia. Henrique relembra que Jayme chegou a realizar cirurgias ortopédicas, como a correção de fraturas de fêmur. Mais tarde, Jayme se especializou em ginecologia e obstetrícia, área na qual trabalhou até o final de sua carreira.

Jayme Gudde passou sua adolescência em Taquara e Porto Alegre, antes de cursar medicina no Rio de Janeiro. Ele se mudou para Bento Gonçalves logo após concluir seus estudos. Henrique, que é cirurgião vascular, destacou que Jayme trabalhou no Hospital Tacchini até os 93 anos, o auxiliando em cirurgias.

Além de sua dedicação à medicina, Jayme Gudde tinha hobbies variados. Foi caçador e pescador, membro ativo de um clube de caça e pesca e, durante muitos anos, praticou tiro ao prato. Com o tempo, dedicou-se à vela, navegando no Lago Guaíba aos finais de semana, mas, com o avanço da idade, nos últimos anos voltou a se dedicar à pesca, sua paixão de longa data.

O corpo de Jayme Gudde foi velado nas Capelas São José de Bento Gonçalves e cremado na quarta-feira (10) no Memorial Crematório do local. Ele deixa a esposa, Edy Gudde, de 91 anos, os filhos Henrique, Fernando e Daniel, seis netos e um bisneto.

Jayme entregando o diploma para a neta Luiza. Da esquerda para a direita: Henrique, Luiza e Fernando. Ele está sentado. (Foto: Arquivo Pessoal/Especial Leouve)

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp