Bento Gonçalves terá seminário sobre praga que atinge videiras na sexta, dia 15

Evento, realizado pela Embrapa Uva e Vinho é direcionado para produtores e técnicos e abordará inseto que pode comprometer até 80% da produção onde é encontrado

Publicado por
14:02 - 12/03/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Marcos Botton

Na próxima sexta-feira (15/03) a Embrapa Uva e Vinho sediará o seminário “Atualização técnica em manejo de cochonilhas farinhentas em uvas para processamento”, a partir das 15h, no auditório da Empresa de Pesquisa, em Bento Gonçalves.

O evento é direcionado para produtores e técnicos interessados em conhecer as estratégias de manejo nos parreirais para estes insetos. Além das espécies já conhecidas de cochonilhas, o seminário abordará a espécie invasora Planococcus fícus, que vem sendo observada em elevadas populações de uvas finas para o processamento em algumas regiões da Serra gaúcha.

O entomologista Marcos Botton, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho, que apresentará o seminário, aponta que é importante que os produtores e técnicos conheçam as espécies presentes no vinhedo para aplicar o manejo adequado. “Esse é um inseto que vem realmente aumentando a ocorrência aqui na região. A gente quer realmente juntar técnicos e produtores para explicar um pouco mais como é a biologia desses insetos, como se multiplicam, como se espalham de um parreiral para o outro e também estratégias de manejo”.

Segundo Botton, um ponto importante é abordar uma espécie que está aumentando a incidência em alguns locais: “Ainda é localizado, não é generalizado, mas nos locais onde as plantas acabam sendo infestadas é possível perceber perdas de até 80% da produção, pois ela inviabiliza totalmente os cachos para a produção”.

Elson Schineider, presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha, conta que a cochinilha é um tema muito importante para os produtores de uva, uma vez que sua proliferação pode causar grandes danos à produção. “Esse é um tema muito importante e que precisamos sempre trabalhar para que haja as ações próprias durante o ano. É importante fazer sempre o tratamento com a safra e o tratamento de inverno para reduzir a ação dessa cochonilha, que é um sugador que debilita a planta cada vez mais. Nós temos índices muito grandes em algumas regiões. A multiplicação é muito rápida e se não há um controle fica muito difícil de reduzir e logo na frente pode comprometer a safra dos nossos viticultores”. pondera.

Após a palestra de Botton, haverá espaço para questionamentos.

Os interessados em participar do seminário, que é gratuito, podem fazer a inscrição pelo link: bit.ly/cochonilha2024. As inscrições são limitadas.

Cochonilha pode comprometer até 80% da produção (Foto: Marcos Botton)

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp