Bento Gonçalves conta com nova base de operações para auxiliar as famílias atingidas pelas enchentes no RS

Trabalho que teve início no Instituto Federal (IFRS), agora encontra na Fundaparque seu novo local de chegada, triagem e distribuição de donativos às cidades do Estado que passam por necessidade. Espaço é seis vezes maior que o anterior e comporta cerca de 4 carretas de donativos por vez

Publicado por
13:43 - 21/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)

Desde a segunda-feira (21) a Fundaparque, em Bento Gonçalves, é a nova sede de um dos principais grupos de voluntários que realiza recebimento, triagem e distribuição de donativos às famílias atingidas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Ação que teve início no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRS), hoje conta com um espaço seis vezes maior que o ginásio do instituto, onde os voluntários começaram os trabalhos e o recebimento das doações já no dia 2 de maio.  Cerca de 90% dos municípios gaúchos foram atingidos pelas chuvas. Destes, cerca de 34 estão sendo atendidos pelos voluntários de Bento Gonçalves.

Conforme a voluntária Francielly De Gasperin, que coordena os voluntários no local, a mudança de base proporcionou uma melhor acomodação das doações.

“A mudança melhorou nossas acomodações, a setorização dos donativos, e na distribuição dos voluntários pois acabamos nos organizando melhor e proceder com todas as tarefas de uma forma melhor”, disse.

Segundo um dos coordenadores da base, o diretor de Desenvolvimento Institucional do IFRS, Jonatas Campos Martins com a união de esforços de vários grupos que estavam trabalhando no auxílio às famílias vítimas no Estado, foi criado a “Bento em ação”, uma nova roupagem para um trabalho que já começo grande, logo no início da tragédia, e hoje toma proporções ainda maiores, podendo ajudar mais pessoas.

“A gente percebeu uma necessidade de ampliar e fazer com que os donativos chegassem a quem realmente precisa. Em certo ponto, chegamos em um limite até operacional. Começamos a receber muitos pedidos de entregas de cargas com grandes volumes, e o espaço físico nos limitava. A demanda de logística fez com que buscássemos novos parceiros, como a Universidade de Caxias do Sul (UCS), Embrapa Uva e Vinho, a Fundaparque e outros grupos que também trabalhavam na distribuição de donativos, como o caso do Pé na Lama e outros grupos que se uniram a nós”, conta Martins.

Quanto aos itens mais necessários a serem doados, a equipe conta que diariamente é feita uma lista do que está faltando, mas principalmente alimentos não perecíveis, água, produtos de higiene adulto e infantil e produtos de limpeza.

As doações podem ser realizadas das 14h às 19h, no Pavilhão E da Fundaparque, porém os voluntários pensam em ampliar o horário para receber também durante a manhã.

O Círculo Solidário de Bento Gonçalves disponibilizou uma chave pix para quem quer ajudar os voluntários do município e não pode fazer doações de forma física: 54999390832.

Até o momento cerca de 2 mil voluntários já se uniram à causa, sendo que diáriamente cerca de cem trabalham no recebimento de cargas, triagem, confecção de kits e na logística de distribuição.

Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)
Foto: Fundaaparque (Émerson Sabedra/Grupo RSCOM)

 

 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp