Associações de municípios dos Vales e da Serra se unem pela solidariedade aos atingidos pelas enchentes

Ações convergem em três pontos: arrecadação através de pix único, distribuição de medicamentos e implantação de telemedicina

Publicado por
17:50 - 23/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Diego Vara/Reuteres

As Associações de Municípios do Vale do Rio Cai (AMVARC), do Vale do Taquari (AMVAT) e da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) representam praticamente cem municípios. Elas estão concentrando esforços para dar celeridade às ações de reconstrução no pós-enchentes.

O advogado Glademir Chiele atende grande parte destes municípios. Ele explica que a configuração jurídica das Associações de Municípios é de caráter privado, e não público, como as prefeituras, por exemplo. Por isso, as entidades criaram um pix único para arrecadar verbas em organismos de auxílio e de fomento nacionais e internacionais.

Os municípios precisam obedecer a toda uma normativa para que os recursos públicos sejam gastos de forma correta, só que isto causa morosidade o momento requer atitudes imediatas”, explica Chiele.

Assim, o comitê gestor do fundo a ser criado será composto pelos quatro presidentes de Associações. O órgão vai determinar a utilização dos recursos na reconstrução de estradas e pontes e também para outras emergências.

Médicos e medicamentos

Em uma outra frente considerada como importante, a saúde, o trabalho das Associações é baseado no conhecimento adquirido durante a pandemia do Covid-19.

Muitos laboratórios e farmacêuticas estão doando quantidades muito grandes de medicamentos. Então será preciso receber e destinar para quem mais precisa”, assegura Chiele.

Ao mesmo tempo, as Secretarias Municipais de Saúde são incentivadas à prática da telemedicina, por meio da iniciativa Médicos pela Vida. Os cidadãos ainda terão que recorrer aos postos de saúde ou Secretarias para que estas agendem a consulta.

Este sistema deu certo durante a pandemia, quando cerca de 10 mil médicos participaram. Agora, já tempos dois mil profissionais cadastrados. É trabalho voluntário e que, portanto ,não terá custo para as prefeituras. Nas consultas à distância será possível diagnósticos e prescrição de receitas”, resume o advogado.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp