Mulher leva cadáver para sacar R$ 17 mil em banco no Rio de Janeiro

Ela seria sobrinha do idoso e o levou de cadeira de rodas à agência para sacar um empréstimo, pedindo para ‘ele assinar’

Publicado por
20:51 - 16/04/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

(Foto: Reprodução)

Uma mulher foi detida em flagrante após tentar realizar um empréstimo bancário utilizando o corpo de um idoso como parte do golpe. O incidente ocorreu em uma agência bancária localizada em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Érika de Souza Vieira Nunes compareceu à agência acompanhada de Paulo Roberto Braga, um homem de 68 anos que ela afirmava ser seu tio. No entanto, a situação suspeita chamou a atenção dos funcionários do banco, que decidiram registrar a cena.

Ao chegar no local, a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constatou que o idoso já estava morto há algumas horas, levantando questionamentos sobre a real relação entre Érika e Paulo. O caso está sob investigação da Polícia Civil.

Durante o depoimento na delegacia, Érika alegou que cuidava do homem, supostamente seu tio. Nas filmagens feitas pelos funcionários do banco, é possível observar Érika segurando a cabeça de Paulo, enquanto tenta convencê-lo a assinar os documentos necessários para o empréstimo.

Em um momento da gravação, a mulher simula uma conversa com o idoso, pedindo-lhe para assinar os papéis. “Tio, está me ouvindo? Você precisa assinar. Se não assinar, não tem como. Eu não posso assinar por você, mas farei o que for possível”, diz ela.

Durante a tentativa de obtenção do empréstimo, Érika ainda se queixa do idoso, alegando que ele está lhe causando “dor de cabeça”. “Assine para me poupar de mais dores de cabeça, eu não aguento mais”, implora.

Desconfiada da situação, uma atendente do banco expressa preocupação: “Acho que ele não está bem”. Em resposta, Érika sugere levá-lo a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), afirmando que o idoso permanece calado por natureza. “Ele não responde, é assim mesmo. Tio, você quer voltar para a UPA?”, indaga ela.

A polícia está investigando o caso como furto mediante fraude ou estelionato. As imagens das câmeras de segurança serão analisadas para identificar se outras pessoas estavam envolvidas na tentativa de golpe. O Instituto Médico Legal (IML), para onde o corpo foi encaminhado, deverá auxiliar nas investigações para esclarecer todos os detalhes do ocorrido.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp