Conab compra 263,3 mil toneladas de arroz em leilão para reduzir preços

Aumento de até 40% no preço do arroz foi causado pelas enchentes no Rio Grande do Sul, para amenizar os impactos dessa alta, o governo decidiu pela compra e distribuição do arroz através do leilão

Publicado por
13:44 - 06/06/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Conab compra 263,3 mil toneladas de arroz em leilão para reduzir preços. (Foto: José Manoel Colombari Filho)

Conab compra 263,3 mil toneladas de arroz em leilão para reduzir preços. (Foto: José Manoel Colombari Filho)

Na manhã desta quinta-feira (6), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou um leilão para a compra de 263,3 mil toneladas de arroz importado. A previsão do governo era adquirir até 300 mil toneladas do grão, como parte de uma estratégia para conter a alta de preços.

O aumento de até 40% no preço do arroz foi causado pelas enchentes no Rio Grande do Sul, estado responsável por 70% da produção nacional do alimento. Para amenizar os impactos dessa alta nos consumidores, o governo decidiu pela compra e distribuição do arroz através do leilão.

O objetivo é vender o arroz em embalagens específicas a R$ 4 por quilo, garantindo que o preço final não ultrapasse R$ 20 pelo pacote de 5 quilos. A distribuição será destinada a pequenos varejistas, mercados de vizinhança, supermercados, hipermercados, atacarejos e estabelecimentos comerciais em regiões metropolitanas, priorizando áreas com indicadores de insegurança alimentar.

Inicialmente, o leilão foi barrado pela Justiça Federal em Porto Alegre. No entanto, o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Fernando Quadros da Silva, acatou um pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) e liberou a realização do pregão.

Com essa medida, o governo espera estabilizar o mercado e garantir o acesso ao arroz a preços mais baixos, atendendo as necessidades dos consumidores e combatendo a insegurança alimentar nas regiões mais afetadas.

*Com informações de Agência Brasil

conab

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp