Após 53 dias internado, Faustão recebe alta hospitalar em São Paulo

O apresentador foi submetido recentemente a um transplante de rim, seis meses após ter passado por um transplante de coração

Publicado por
14:40 - 12/04/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Após 53 dias internado, Faustão recebe alta hospitalar

Foto: Reprodução

Faustão, de 73 anos, recebeu alta nesta sexta-feira (12) do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, segundo boletim médico. A alta acontece 47 dias depois de o apresentador ter se submetido a um transplante de rim e após 53 dias internado.

“Fausto Silva recebeu alta do Hospital Israelita Albert Einstein nesta sexta-feira, dia 12 de abril de 2024. O paciente seguirá sob as orientações médicas”, informa o documento assinado por Marcelino Durão, nefrologista e coordenador médico de transplante renal do Hospital Israelita Albert Einstein, Fernando Bacal, cardiologista do Hospital Israelita Albert Einstein, e Miguel Cendoroglo Neto, diretor médico de serviços hospitalares e prática médica do Hospital Israelita Albert Einstein.

Faustão havia recebido o novo rim exatamente seis meses depois de um transplante de coração devido a um grave quadro de insuficiência cardíaca. Semana passada, sua esposa, Luciana Cardoso, comemorou que “a rejeição (do novo órgão ao corpo) foi vencida”.

“Hoje, 5 de abril, completam 47 dias da internação para o implante renal do meu marido Fausto Silva. Nesse período, muitas coisas aconteceram e ele tem lutado bravamente para se manter bem, com energia e disposição para colaborar com sua recuperação. Há 3 semanas, tivemos a notícia que seu corpo não estava aceitando o novo órgão”, começou.

“Então, um tratamento mais potente foi iniciado e há 2 dias tivemos a feliz resposta que aguardávamos: a rejeição foi vencida. A partir de agora, nossa expectativa é que o tempo traga o reequilíbrio necessário para que todo o organismo volte a funcionar em harmonia”, disse.

“Não foram tempos fáceis. Mais uma vez, aceitamos as provações que a vida nos dá como aprendizados que servem para fortalecer ainda mais a fé, a união familiar e a gratidão aqueles que no momento mais difícil, tem a generosidade de dizer SIM e permitir que outras pessoas permaneçam vivas por mais tempo através da doação de órgãos”, afirmou.

“A luta ainda não acabou, mas já é possível visualizar a linha de chegada dessa maratona. Obrigada por tantas mensagens de carinho e incentivo. Obrigada aos médicos, aos enfermeiros, a toda equipe envolvida e todas as famílias doadoras. Obrigada, Deus!”, concluiu.

Fonte: O Sul

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp