Vice-governador recebe sindicatos para preparar segurança no dia da Greve Geral

1
666
Foto: (Rodrigo Ziebell/SSP)

O vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, recebeu na manhã desta quarta-feira (12) representantes de entidades sindicais com a finalidade de alinhar o esquema de segurança para a mobilização de trabalhadores, prevista para sexta-feira. A reunião foi solicitada pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no Estado (CTB-RS), por meio de ofício enviado na noite da terça-feira. Também participaram do encontro o comandante-geral da Brigada Militar (BM), coronel Mário Ikeda, e a chefe da Polícia Civil, delegada Nadine Anflor.

O vice-governador saudou os líderes sindicais pela procura por diálogo, que classificou como fundamental para garantir, além da segurança de todos, o livre direito de manifestação e a livre circulação daqueles que desejarem manter as suas atividades. “Nada melhor do que podermos estar todos aqui para conversar, de forma que tudo transcorra em absoluta tranquilidade. Nossas polícias estão mobilizadas para dar o apoio necessário no acompanhamento dos atos, para que todos possam fazer a sua manifestação em segurança e sem violência, assim como para impedir quaisquer obstruções àqueles que decidirem seguir com suas rotinas normais de trabalho”, afirmou Ranolfo.

O presidente da CTB-RS, Guiomar Vidor, agradeceu a agilidade do governo em providenciar a reunião e a abertura de canal direto para preservar o ambiente de convivência democrática e livre manifestação. “O apoio das forças de segurança será fundamental na garantia da livre escolha dos trabalhadores que venham a aderir à greve e também para que não tenhamos qualquer incidente que venha a macular esse dia tão importante”, disse Vidor. O dirigente celebrou o atual espaço aberto para, com antecipação, evitar possíveis conflitos. Os participantes do encontro destacaram a necessidade de manter o trânsito nas cidades sem bloqueios, respeitando a opção dos trabalhadores que quiserem paralisar.

O comandante-geral da BM ressaltou que a Polícia Militar terá foco na proteção contra violência aos cidadãos, sejam contrários ou favoráveis à manifestação, garantindo o direito de todos. “Vamos atuar para que as caminhadas ocorram de forma pacífica e sem percalços, assim como a livre circulação nas vias. Não iremos orientar, até porque não é nosso papel, cobradores e motoristas a saírem, nem o contrário. Mas, para aqueles que desejarem manter suas linhas e atender à população, vamos garantir que possam deixar as garagens em segurança e sem obstáculos”, disse Ikeda.

O coronel solicitou uma previsão de trajetos e deslocamentos dos manifestantes na Capital, para auxiliar no planejamento da operação. O presidente da CTB informou que o ato principal ocorrerá no fim da tarde, na Esquina Democrática, mas o percurso ainda não está fechado. Vidor se comprometeu a encaminhar uma previsão à BM até quinta-feira.

A chefe da Polícia Civil, delegada Nadine Anflor, tranquilizou os líderes sindicais quanto ao serviço da corporação no dia programado para a mobilização. “Teremos um reforço para atender eventuais demandas, inclusive com nosso projeto de mediação nos casos que não forem de flagrante. Mas tenho a expectativa de que, a partir desse diálogo aberto, talvez nem seja necessário acionarmos a Polícia Civil”, disse.

Também participaram do encontro o subcomandante-geral da BM, coronel Carlos Alberto Prado de Andrade, o chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), tenente-coronel Rodrigo Mohr Picon, e o chefe de operações da BM, tenente-coronel Vanius Cesar Santarosa. Pelas entidades, compareceram representantes da União Geral dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul (UGT-RS), da Central Única dos Trabalhadores no Estado (CUT-RS), da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), da Central Sindical e Popular Conlutas, da Força Sindical, da Associação dos Servidores da Justiça do Rio Grande do Sul (ASJ) e da Pública Central do Servidor.

COMPARTILHAR

1 COMMENT

LEAVE A REPLY