Vereadores e direção do Hospital Geral vão a Brasília em busca de recursos

0
193
Foto: (Gustavo Tamagno Martins/Divulgação)

O término das obras de ampliação do Hospital Geral de Caxias do Sul, uma das principais reivindicações da saúde na Serra Gaúcha, será tema de discussões no Congresso Nacional e no Ministério da Saúde a partir desta segunda-feira (22). O presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Término das Obras de Ampliação do HG, vereador Rafael Bueno/PDT, e o seu colega Edi Carlos Pereira de Souza/PSB, pretendem apresentar a demanda para senadores, deputados federais e representantes da pasta da Saúde.

A intenção é reforçar a importância de concluir a obra, principalmente porque o hospital é referência para 49 cidades na Serra Gaúcha, tem o atendimento 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e abrange mais de 1 milhão de pessoas. O diretor-geral do HG, Sandro Junqueira, e o diretor-executivo da Fundação Universidade Caxias do Sul (Fucs), Gilberto Quissini, que administra o HG, estarão em Brasília para acompanhar as reuniões, previstas para os dias 23 e 24 de abril.

A ampliação do HG foi apontada como saída para amenizar parte dos problemas ocasionados por falta de leitos hospitalares, além do aumento e melhoria no atendimento da área materno-infantil, mas a obra está parada desde janeiro de 2017. A estrutura dos sete andares está pronta, sendo que faltam acabamentos e aberturas. A falta de verbas comprometeu a obra, iniciada em outubro de 2014. Nos quatro primeiros andares estão praticamente todos os serviços disponíveis aos pacientes, como UTIs, ala pediátrica e leitos para internações.

Para essa conclusão, seriam necessários pelo menos R$ 6,5 milhões e, para a totalidade dos sete andares, seriam mais R$ 10 milhões. “Acredito que a presença de políticos no centro do poder, juntamente com os gestores do Hospital Geral, é fundamental para detalharmos a importância da conclusão das obras. Estamos fazendo a nossa parte e por isso chegaremos aos senadores, toda a bancada gaúcha na Câmara Federal (31 deputados) e no alto escalão do Ministério da Saúde”, destacou Bueno.

As tratativas para as agendas em Brasília tiveram início em outubro de 2018, quando Rafael Bueno participou de uma reunião no HG, junto ao senador Luiz Carlos Heinze/PP e sua suplente Adriana de Lucena/PP, que intermediou o encontro em Caxias.

O senador se comprometeu em fazer o possível para ajudar no encaminhamento de emendas para as obras. Além do pedido de recursos para a conclusão das obras, a direção do HG e da Fucs buscarão verbas para o custeio do hospital.

SOBRE AS OBRAS
Os gestores destacaram que, em virtude da crescente demanda da região, por meio do Plano Diretor do HG, elaborado em 2009, projetou-se a ampliação de 70% da área física e de 60% da capacidade assistencial. As obras, iniciadas em 2014, possibilitarão um aumento de 128 leitos (87 de internação e 41 de UTIs adulto, pediátrica e neonatal), passando o total dos atuais 227 para 355 leitos (sendo 275 de internação e 80 de UTIs).

O projeto de ampliação tem um orçamento total de R$ 39,7 milhões, sendo R$ 18 milhões referentes à ampliação física e o restante a equipamentos e reestruturação interna. Para a conclusão da obra é necessário um valor aproximado de R$ 10 milhões.

Além do presidente Rafael Bueno e Edi Carlos, que viajam a Brasília, integram a Frente Parlamentar em Defesa do Término das Obras de Ampliação do HG, os vereadores Paula Ioris/PSDB, como secretária, Adiló Didomenico/PTB, Arlindo Bandeira/PP, Felipe Gremelmaier/MDB, Renato de Oliveira/PCdoB, Ricardo Daneluz/PDT e Velocino Uez/PDT.

COMPARTILHAR

LEAVE A REPLY