Suspeitos de matar criminoso que estuprou a filha são presos em Porto Alegre

2
3139

Dez pessoas foram presas durante a Operação Matriarcado da Polícia Civil, em combate aos crimes de homicídio, organização criminosa, tortura e corrupção de menores. Durante o cumprimento de 21 mandados de prisão preventiva e 35 mandados de busca e apreensão, objetos que estão relacionados com o crime foram apreendidos

Segundo o delegado Guilherme Gerhardt, titular da 1ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Pessoas Desaparecidas (DPHPP), a investigação identificou 23 membros do grupo criminoso responsável pela tortura e execução de um homem, que teria sido integrante desse mesmo grupo, mas que após suspeita de haver violentado a própria filha, foi torturado e executado pelo grupo.

“Durante as diligências foram identificados 22 adultos e um adolescente que ao saberem um homem havia sido autor do estupro da própria filha, formaram um tribunal do crime, julgaram, torturaram e o executaram a luz do dia e à vista de todos. Havia crianças nas proximidades, famílias, e os criminosos executaram o indivíduo ali na frente de todos. O crime ocorreu de forma muito cruel, após espancarem o indivíduo até acreditarem que ele estava morto, o deixaram em via pública. Como ele ainda estava vivo, eles retornaram ao local, prepararam uma estrutura conhecida como micro-ondas, em que a vítima é colocada dentro de pneus, os quais são incendiados e atearam fogo, carbonizando a vítima.”

A operação foi batizada como Matriarcado pois uma mulher identificada como madrinha e a pessoa que tem voz de comando naquele grupo, seria a mandante da execução. “Ela é companheira do Alemão Márcio, e como ele está preso, ela comanda todas as ações desenvolvidas na área e nada acontece sem que ela autorize.”

Todos adultos estão sendo indiciados pela prática dos crimes de Organização Criminosa , Tortura , Homicídio Triplamente Qualificado e Corrupção de Menores.

A operação contou com a participação de mais de 230 policiais, 65 viaturas, apoio aéreo do helicóptero da Polícia Civil e apoio terrestre pelas equipes da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE). Foram apreendidas roupas utilizadas pelos criminosos no dia da execução e munição, entre outros objetos.

COMPARTILHAR

2 COMMENTS

  1. Um vagabundo deste tinha que morrer mesmo, O único problema é que todos os matadores são bandidos também Mas estuprador tem que morrer mesmo Agora estuprar a própria filha é pior ainda.

  2. Tem que matar mesmo aonde há se viu estrupar a própria filha sangue do seu sangue nem q fose outra pessoa se existisse pena de morte garanto que não tinha bandidooo tem que vir para o Brasil sou a favor.so por jesus.

LEAVE A REPLY