De shampoos a candidatos a oferta é enorme

0
708

Teve fase de dureza extrema em que ir ao supermercado me causava uma espécie de pânico. De que tamanho vai ser este cheque? Será que a conta vai ter fundo? Confesso que sinto isto quando frequento certos restaurantes até hoje. Mas, agruras da vida à parte, ir ao supermercado hoje me dá certo prazer. Os gastos continuam espremidos, mas é bom ter o livre arbítrio e escolher o que vai comer. Ainda assim alguns corredores me trazem incômodo.

O dos produtos de limpeza, por exemplo. É tanta oferta de produto para o chão que temo pegar um contraindicado e o piso derreter sob meus pés. Pior quando tu vais pegar algo que te mandaram. Passa tudo na tua frente, menos aquele determinado super limpador de banheiro. Pode revirar as prateleiras, acha de tudo, mas aquele encomendado estará em falta. Um inferno. Me sinto fracassado.

E as lâmpadas? Ah as lâmpadas… trocam o corredor onde elas estão, trocam os modelos: eram incandescentes, passaram a ser de led, ou alógenas ou o escambau. Eram em espiral, voltaram a ser bojudinhas. Ai tu pega a amarela e tua casa só tem as brancas. Tem “x” lumix, “y” watts, consomem “n” de energia e os preços variam de 3,00 a 30,00 reais. Uma loucura. Dá vontade de comprar vela.

Mas o local que mais tem me causado transtornos é a gôndola dos shampoos. Houve o tempo em que eu ia lá pegava o Seda para cabelos oleosos e deu. Hoje já tenho menos cabelos, a oleosidade se foi, mas algumas coisas perturbam. Já não encontro o Seda que eu gostava. Se for às compras sem óculos é certo que levo condicionador em vez de shampoo. Tem shampoo pra cabelos lisos, crespos, rebeldes, secos, de pontas duplas, detox. Mas que diabos quer dizer friz?

Seja produto de limpeza, seja shampoo ou lâmpada. O certo é que cada dia mais produtos aparecem, os preços são muito diferentes e as instruções na embalagem cada vez mais detalhadas. Parabéns ao comprador do supermercado. Mas tanta oferta acaba confundindo o consumidor

A verdade é que esta oferta toda na cena política é assim também. Tem tanto partido e tanto candidato que tem muita gente achando mais simples que acabem com a democracia e coloquem alguém pra decidir por nós. E, de fato, aquele candidato sob medida que tu esperava parece não estar na prateleira.

Você até pode decidir não comprar shampoo e lavar o cabelo com sabão. Os cabelos estarão limpos, mas o cheiro e os danos podem não valer a aposta, como na política. Então dá pra ir por eliminação, analisar o passado e a respeitabilidade do candidato ou simplesmente votar no candidato que seja novidade. Pode se ter alguma decepção lá na frente, mas terá sido por livre arbítrio e não porque você errou a lista que te deram pra fazer as compras no mercado.

COMPARTILHAR

LEAVE A REPLY