Companhias aéreas irão barrar bagagens de mão maiores que o tamanho permitido

0
368

As companhias aéreas brasileiras começarão a aplicar com mais rigor as regras para que passageiros levem malas de mão nos aviões. A fiscalização mais intensa, que será implementada por fases a partir de amanhã (10) até 24 de abril, foi anunciada pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

Segundo o órgão, o passageiro que tentar embarcar com uma bagagem de mão maior do que o tamanho permitido precisará despachá-la, pagando pelo serviço.

“A partir de maio, as malas fora do padrão precisarão ser despachadas nos check-ins das companhias aéreas, estando sujeitos a cobranças de acordo com o tipo de franquia contratado para a viagem”, diz a nota.

A associação afirma que a decisão tem como objetivo “agilizar o fluxo dos clientes nas áreas de embarque, evitando atrasos e trazendo maior conforto para todos os passageiros “, uma vez que, desde o início da cobrança da bagagem despachada, muitos passageiros começaram a levar malas de mão maiores dentro das aeronaves. De acordo com as empresas, essa ação dos clientes acaba deixando as cabines dos aviões sem espaço, causando problemas e atrasos dentro dos voos.

No total, 15 aeroportos participarão da fase de implementação da medida, informando aos passageiros as regras para que uma bagagem seja classificada como de mão. Confira os locais nos quais as mudanças começam a acontecer primeiro:

10 de abril

Juscelino Kubitschek (Brasília/DF)
Afonso Pena (São José dos Pinhais, Curitiba/PR)
Viracopos (Campinas/SP)
Aluízio Alves (São Gonçalo do Amarante, Natal/RN)

17 de abril

Confins – Tancredo Neves (Belo Horizonte/MG)
Pinto Martins (Fortaleza/CE)
Guararapes – Gilberto Freyre (Recife/PE)
Luís Eduardo Magalhães (Salvador/BA)
Val-de-Cans – Júlio Cezar Ribeiro (Belém/PA)

24 de abril

Santa Genoveva (Goiânia/GO)
Salgado Filho (Porto Alegre/RS)
Congonhas (São Paulo/SP)
Aeroporto Internacional de São Paulo (Guarulhos/SP)
Galeão – Tom Jobim (Rio de Janeiro/RJ)
Santos Dumont (Rio de Janeiro/RJ)
Leia também: Ações da Boeing caem após corte na produção de modelo envolvido em acidentes

A ABER afirma, ainda, que a ação para conferir o tamanho das malas será feita antes do raio-x, e será utilizada uma caixa com as medidas permitidas para verificar se as malas estão dentro do padrão.

Entenda:

Segundo os padrões internacionais da Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo), as bagagens de mão podem ter 35 centímetros de largura, 25 centímetros de profundidade e 55 centímetros de altura. Essa medida vale para todas as companhias aéreas.

Se a mala couber dentro da caixa, o passageiro pode seguir e embarcar normalmente. Caso a mala não entre, o cliente deverá despachá-la na área de check-in.

Caso a bagagem do cliente ultrapasse os limites de tamanho e ela precise ser enviada, será necessário pagar a taxa de despacho. Entre as companhias aéreas que atuam no Brasil, os valores são similares.

Gol

1ª mala: R$ 60 com antecedência e R$ 120 no aeroporto
2ª mala: R$ 100 com antecedência e R$ 140 no aeroporto
3ª a 5ª mala: R$ 130 com antecedência e R$ 220 no aeroporto cada uma
Latam

1ª mala: R$ 59 com antecedência e R$ 120 no aeroporto
2ª mala: R$ 99 com antecedência e R$ 140 no aeroporto
A partir da 3ª mala: R$ 139 com antecedência e R$ 220 no aeroporto cada uma
Azul

1ª mala: R$ 60 com antecedência e R$ 120 no aeroporto
2ª mala: R$ 100 com antecedência e R$ 140 no aeroporto
3ª a 5ª mala: R$ 130 com antecedência e R$ 220 no aeroporto cada uma
Leia também: Avião tubarão da Embraer faz sucesso e causa fascínio em turnê ao redor do mundo

Avianca

1ª mala: R$ 60 com antecedência e R$ 120 no aeroporto
2ª mala: R$ 100 com antecedência e R$ 140 no aeroporto
3ª a 10ª mala: R$ 130 com antecedência e R$ 220 no aeroporto cada uma

Fonte: Economia – iG

LEAVE A REPLY