Alegrete e Uruguaiana decretam estado de calamidade pública

0
859
foto: defesa civil/divulgação

Sete municípios, 134 pessoas desabrigadas e 14 desalojadas. Este é o saldo trágico causado pela chuvas que atingem a Fronteira Oeste, desde a noite de terça-feira (8). As prefeituras de Alegrete e Uruguaiana decretaram estado de calamidade pública.

Conforme o boletim divulgado nesta quinta pela Defesa Civil, Alegrete, Bagé, Dom Pedrito, São Francisco de Assis, Uruguaiana, São Borja e Jaguari são os locais mais atingidos pelo temporal.

Alegrete é a cidade mais atingida, o prefeito da cidade decretou estado de emergência. No município, um homem morreu após a queda de uma árvore sobre sua casa. Também houveram quedas de árvores na ERS-377 e o rio Ibirapuitã estava 11m90cm acima do nível normal, até a manhã de hoje. Três pessoas estão desalojadas e 126 desabrigadas.

Em Bagé, as ruas estão alagadas, além de várias residências destelhadas, postes caídos e três pessoas desalojadas. Dom Pedrito fez o registro de oito pessoas desalojadas e outras oito desabrigadas, e o rio Santa Maria está cheio. Já em São Borja e em São Francisco de Assis, há residências alagadas e estradas estão bloqueadas. Os  impossibilitando o acesso ao interior do município.

Dezesseis pessoas foram retiradas de casa, devido a inundação do rio Jaguari. Em Uruguaiana, a chuva intensa e vento forte resultaram no destelhamento de casas, queda de postes e consequente falta de energia elétrica, principalmente no interior do município.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), colocou os órgãos estaduais à disposição para auxiliar na retomada das condições de normalidade nos municípios afetados pelas chuvas.

Segundo o chefe da Casa Militar, coronel Julio César Rocha Lopes, para socorrer os municípios, a Defesa Civil e as equipes do Corpo de Bombeiros auxiliam em serviços como a desobstrução de vias em Uruguaiana, onde choveu mais de 100 milímetros.

COMPARTILHAR

LEAVE A REPLY