ENCONTRO

Guerra não comparece em reunião agendada e desagrada empresariado de Caxias

MAICON RECH -     
0
1445

Representantes da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e de 17 sindicatos patronais, que juntos representam cerca de 25 mil empresas, receberam, na manhã desta quinta-feira, dia 17, o chefe de Gabinete da Prefeitura de Caxias do Sul, Júlio César Freitas da Rosa, e o secretário municipal do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego, Emílio Andreazza, em uma reunião de trabalho que havia sido agendada com a presença do prefeito Daniel Guerra.

Minutos antes do café da manhã, Freitas avisou que o prefeito não compareceria, alegando outros compromissos. A ausência de Daniel Guerra causou desconforto ao presidente da CIC, Ivanir Gasparin, que havia se empenhado pessoalmente em reunir o maior número possível de lideranças empresariais nesta agenda de trabalho que teve por objetivo discutir temas de interesse do município.

(Foto: Cristiane Carvalho/CIC/divulgação)

Depois de afirmar que a ausência de Daniel Guerra frustrava as expectativas das lideranças na busca de maior aproximação entre o chefe do Executivo caxiense e as entidades representativas da classe produtiva local, Gasparin coordenou uma rodada de apresentação de demandas dos setores. Cada presidente de sindicato pode expor reivindicações e as principais dificuldades enfrentadas pelas empresas do setor em questões ligadas à gestão municipal e na relação com o Poder Público. Foram abordados assuntos como comércio ilegal, falta de uma política de incentivo ao turismo, burocracia na análise e liberação de licenças, impasse em torno da tarifa do transporte público urbano, inexistência de feiras e eventos setoriais, baixo envolvimento da Administração Municipal em eventos comemorativos comunitários, falta de comunicação entre secretarias e pouco investimento na modernização do Aeroporto Regional Hugo Cantergiani, entre outros pontos.

“Só queremos ser ouvidos, queremos azeitar o relacionamento entre a municipalidade e a produção de Caxias do Sul. Temos que nos aproximar e precisamos de um mecanismo que garanta essa maior aproximação com o Poder Público. Todos que estão aqui querem o melhor para Caxias do Sul. Também temos a agenda cheia de compromissos, e nossas empresas precisam de nós, mas entendemos que contribuir para o desenvolvimento da nossa cidade é uma prioridade”, desabafou o presidente da CIC.

Júlio Freitas desculpou-se pela ausência de Guerra e garantiu que as demandas serão levadas ao prefeito e que todas serão respondidas. “O problema dos senhores é o nosso problema. Precisamos avançar nas pautas”, pontuou Freitas, que também relatou dificuldades e desafios enfrentados pela atual administração na gestão do município, a começar pelo bloqueio de recursos no caso da indenização cobrada pela família Magnabosco e pelas limitações impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, entre outros.

Deixe uma resposta