NOVA PONTE DO GUAÍBA

Governo gaúcho transfere ao DNIT área para construção de acessos a nova ponte

ROGéRIO COSTA ARANTES -     
0
145



O governo gaúcho transferiu ao Departamento de Infraestrutura de Transportes (DNIT) nesta quinta-feira, dia 10, a área da extinta Companhia de Habitação do Estado (Cohab) em Porto Alegre onde serão construídas as alças de acesso para a nova ponte do Guaíba.

Com a assinatura da transferência de posse do terreno de 21.031 metros quadrados avaliado em R$ 4,2 milhões, a próxima etapa será garantir o reassentamento das cerca de 460 famílias da ocupação irregular da Vila Tio Zeca no entorno da obra.

Segundo o superintendente do DNIT no estado, Hiratan Pinheiro da Silva, a doação da área deve dar prosseguimento ao trabalho no complexo da Ponte do Guaíba.

O governador José Ivo Sartori assinou a transferência de áreas para o DNIT (Foto: Luiz Chaves, Palácio Piratini/divulgação)

Temos três grandes assentamentos que devem ser regularizados, esse (que será beneficiado com a transferência do terreno da Cohab) é um deles. Esse é um passo importante para avançar na obra, escolhida como prioridade pelo DNIT por beneficiar também o complexo rodoviário do Rio Grande do Sul”, assegurou.

Para o governador José Ivo Sartori, que assinou o ato de doação, a ação é significativa e importante para a vida dos cidadãos.

A regularização fundiária é essencial para essas pessoas terem autoridade sobre o lugar que moram. No que depender do governo do Estado, iremos ajudar também na desburocratização do licenciamento ambiental, desde que se mantenha a proteção ao meio ambiente”, garantiu.

Construção das alças de acesso à nova Ponte do Guaíba vai exigir retirada de famílias que ocupam áreas (Foto: arquivo)

As obras da nova ponte deveriam ser concluídas em setembro deste ano, mas apenas cerca de 50% da obra foi feita desde outubro de 2014. Para concluir a obra, o governo do estado calcula que mais R$ 520 milhões precisam ser investidos. Até o momento, a obra já consumiu cerca de R$ 370 milhões.

As obras corriam risco de uma nova paralisação por falta de recursos, mas o Ministério do Planejamento liberou cerca de R$ 30 milhões para a continuação das obras. De acordo com o secretário estadual de Obras, Saneamento e Habitação, Fabiano Pereira, a obra deve estar entre as prioridades do governo federal dentro do programa Avança Brasil.

Deixe uma resposta