ELEIÇÕES ITALIANAS

Fábio Porta concorre ao Senado Italiano

ARTHUR CIPRIANI -     
0
142

Deputado Italiano Fábio Porta, candidato ao Senado Italiano, em entrevista as emissoras do Grupo RSCOM e Portal leouve.com.br

Os eleitores tem até o dia 1º de março para votarem nos candidatos a Câmara dos Deputados e ao Senado Italiano, cada eleitor vai receber em casa um envelope do Consulado Italiano para poder votar e o mesmo deve retornar até o final do mês de fevereiro ao Consulado, pois embarca dia 03 para a Itália onde será aberto juntamente com os votos italianos, a eleição na Itália acontece no dia 04 de março.

Repórter Arthur Cipriani: Como funcionam as eleições italianas?

Fábio Porta: A Itália é um dos poucos países que permite aos cidadãos que residem fora de Pais de eleger Deputados e Senadores, são 12 Deputados e seis Senadores eleitos pelos italianos no Exterior, o Brasil faz parte da Circo inscrição Americana do Sul, ou seja todo o Continente Sul Americano elege quatro deputados e dois senadores.

Os Brasileiros que tem dupla cidadania e os italianos que moram no Brasil, vão receber do Consulado, enviadas pelo correio as cédulas eleitorais, para que exerçam o direito do voto e após feito a votação, devolvem tanto pelo correio como direto nos Consulados, sempre com o envelope pré – impresso, na forma que o envelope deve estar no Consulado até o dia 1º de março.

Repórter: É muito importante, tanto pro cidadão italiano quanto pro cidadão ítalo- brasileiro (aqueles que possuem cidadania italiana) votarem, de que forma ele pode cobrar as questões políticas dos candidatos eleitos, bem como do Parlamento Italiano?

Fábio Porta: O Brasileiro que tem cidadania italiana é muito ligado a suas origens, e cobra muito pela demora para ter a sua cidadania perante ao consulado, porém, após conseguir a sua cidadania, nem sempre ele lembra que sua primeira obrigação é participar das eleições, ter seus representantes para que possa cobrar seus direitos, eu mesmo tenho um contato diário com ítalos brasileiros que acompanham meu trabalho, seja por telefone, Fan Page no Facebook, internet e nós vamos trabalhando junto para resolver os problemas dos mesmos.

Resolvemos a questão da carteira de habilitação e do acordo entre Itália e Brasil para reconhecer a habilitação dos brasileiros com dupla cidadania, também conseguimos o reconhecimento do atestado civil sem precisar de tradução e estamos resolvendo a questão dos Consulados para evitar a demora nas filas e agilizar o processo.

Repórter Arthur Cipriani: Qual a diferença entre os deputados e Senadores Italianos para os Brasileiros?

Fábio Porta: A Itália tem um sistema parlamentarista e no Brasil um sistema previdencialista, então o Parlamento é que define a sustentação do Governo, e isto é muito importante porque dá mais importância aos parlamentares, outra diferença é em relação ao Senado e a Câmara, no sistema italiano o representante não é dos estados e sim do povo italiano, porém para votar ao senado o cidadão tem que ter mais de 25 anos e para concorrer ter mais de 40 anos, mas as funções são basicamente iguais as daqui.

Repórter: Quais projetos o senhor tem em mente para executar em 2018 e nos demais anos?

Fábio Porta: Em primeiro lugar queremos estabilizar e reforçar um projeto de minha autoria que já foi aprovado e esta sendo aplicado esta semana, projeto que permite aos consulados de ter a disponibilidade de recursos, por exemplo, quando os brasileiros faziam o pagamento das taxas para encaminhamento da documentação, o valor ia todo para a Itália, hoje 30% do valor fica no Consulado para contratar pessoas, melhorar o atendimento, queremos agora chegar aos 50%. Outra lei importante é do ensino nas escolas da história e da nossa presença italiana no mundo e vai melhorar o ensino da língua italiana no exterior, principalmente no Brasil através de convênios entre escolas brasileiras e os consulados na Itália, e estamos trabalhando muito em um projeto que vai possibilitar ao jovem italiano e o ítalo – brasileiro a pelo menos uma vez na fase do colegial e na universidade a um intercambio entre Itália e o países onde existem muita descendência italiana, como o Brasil.

Repórter: E sobre a questão da carteira de habilitação:

Fábio Porta: A questão da carteira de habilitação é um exemplo concreto de como um representante do parlamento pode ajudar a resolver problemas muito práticos, primeiro solicitamos ao Governo italiano e brasileiro de assinarem um convênio para que a Itália reconheça a carteira nacional de habilitação brasileira e o Brasil faça o mesmo. depois nós fizemos uma longa tratativa entre os Ministérios de Transporte dos dois países para regulamentar esta situação e finalmente no final de 2016 o acordo foi assinado e à partir de janeiro deste ano o acordo já está valendo, ou seja, o brasileiro que vive na Itália, pode  dirigir com a sua carteira de habilitação, fato que facilita muito o intercambio, o turismo, a possibilidade de trabalhar nos dois países, a mobilidade e as relações dos dois países de forma geral.

Repórter Arthur Cipriani: Existe hoje algum impedimento de algum brasileiro de entrar na Itália?

Fábio Porta: O Brasileiro que possui cidadania italiana pode morar e trabalhar no País da mesma forma que um cidadão italiano, contrário do cidadão que tem apenas o passaporte brasileiro, que tem apenas os direitos de um turista. Alguns brasileiros tem vistos diferentes para trabalhar ou estudar na Itália, e os consulados brasileiros no País, bem como Roma e todos os municípios italianos estão preparados e prontos para atender à todos que quiserem ter a dupla nacionalidade ou regularizar sua situação.

 

Fábio Porta é candidato ao Senado Italiano (FOTO: Divulgação)

 

 

 

Deixe uma resposta